segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Intensificado combate a incêndios no Parque Estadual de Terra Ronca


Esforços compreendem também fiscalização e monitoramento para identificar possíveis agentes dos crimes ambientais e a área atingida pelas chamas.

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) intensifica as ações de combate aos focos de incêndio no Parque Estadual da Terra Ronca (PETeR) e entorno da Unidade de Conservação (UC).

Há 12 dias o trabalho conta com efetivo formado por homens da Organização Não Governamental (ONG) Aliança da Terra, que tem parceria com a pasta, e também do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO).

Além do controle às chamas, a Semad esclarece que os esforços compreendem também o trabalho de fiscalização e monitoramento, que entre outras metas, busca identificar possíveis agentes que podem ter dado origem aos crimes ambientais.

É o caso, por exemplo, de ação empreendida pelo chefe do PETeR, Wesley Andrade, em conjunto com o comando regional do CBMGO, quando no sábado (17/10), identificaram irregularidades em uma propriedade rural próxima.

Por meio de monitoramento, equipes de fiscalização da Semad foram até uma fazenda em que o proprietário havia ordenado que fosse realizada a limpeza de uma área e, em seguida, ateado fogo no mesmo perímetro. Essas ações criminosas foram empreendidas na última sexta-feira.

Wesley Andrade conta que o próprio arrendatário das terras relatou que perdeu o controle do incêndio, o que agravou ainda mais a situação das queimadas na região. Após o incidente o dono da fazenda foi conduzido ao município de São Domingos para a lavratura de auto de infração.

Ajuda

O chefe do PETeR, Wesley Andrade, conta que além da brigada da ONG Aliança da Terra e CBMGO, os esforços que visam o controle total das chamas contam com apoio da população. “Agradecemos a colaboração da comunidade que está sensível em participar da conservação e proteção do parque. Por meio dessa participação, podemos de forma rápida e efetiva, identificar e punir aqueles que comentem crimes ambientais”, diz.

E ressalta o aparato disponibilizado pela pasta que torna mais ágil o combate aos focos de incêndio em UCs em todo o Estado, inclusive com imagens de satélite. “Hoje temos uma estrutura de gestão na Semad que nos permite identificar a área com precisão, uma gerência de unidades de conservação integrada que nos garante todo o suporte para combater esse tipo de crime ambiental”, aponta Wesley Andrade.

Comunicação Semad

Nenhum comentário:

Postar um comentário