quarta-feira, 7 de outubro de 2020

Todos índices de criminalidade têm queda na gestão do governador Ronaldo Caiado


Na comparação com governo anterior, homicídios em Goiás caem mais de 31%, latrocínios, 56%, e lesão corporal seguida de morte, 61%, de acordo com Observatório da Segurança Pública. Números são de janeiro a setembro de 2020 ante igual período de 2018. Em relação aos roubos a instituições financeiras, Estado está há 17 meses sem registros, queda de 100%. “Isso é cidadania, é dar autonomia às pessoas para fazerem o que desejam sem ter o empecilho da bandidagem”, destaca Caiado. “Dados refletem excelência do trabalho feito pelas forças policiais”, diz secretário Rodney Miranda

Ao lado do governador Ronaldo Caiado, o secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), Rodney Miranda, apresentou ao secretário nacional de Segurança Pública, coronel Carlos Paim, e demais participantes da primeira Senasp Itinerante, nesta terça-feira (06/10), o balanço dos índices de criminalidade no Estado. Os números demonstram reduções em todas as modalidades aferidas e nos três recortes observados: último trimestre deste ano, acumulado de 2020, e o apanhado da gestão Caiado, com destaque para a redução em 31% dos casos de homicídio e para o fim do roubo a instituições financeiras.

Rodney iniciou a exposição com dados do acumulado de 2020, sempre comparando o índice com o registrado no mesmo período de 2019. Entre janeiro e setembro últimos, o número de homicídios reduziu em 14,16%. Latrocínios, que é roubo seguido de morte, caíram 27,08% e os registros de lesão corporal seguida de morte tiveram queda de 11,11%. “Esses dados refletem a excelência do trabalho feito pelas forças policiais”, destacou o secretário, que citou outro fato relevante: “Em setembro, tivemos o menor número de homicídios mensal nos últimos 10 anos no Estado de Goiás”.

Os dados, apurados pelo Observatório da Segurança Pública da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP-GO), também apontam queda nos índices do crime roubo, de todos os tipos: de veículos reduziu em 41,41%; de cargas, 41,84%; a transeuntes, 33,66%; em residências, 28,54%; e em comércios, 26,09%. Na zona rural, o número de roubos em propriedades caiu em 42,40%.

Em relação aos roubos a instituições financeiras, o Estado de Goiás está há 17 meses sem registros, que significa uma queda de 100%. “Você vê hoje o seguro mais barato de carro aqui em Goiás. Isso dá tranquilidade para o cidadão. Isso se chama cidadania, é dar autonomia para as pessoas fazerem o que desejam sem ter o empecilho da bandidagem”, destacou o governador.

Da mesma forma, a redução trimestral, considerando os meses de julho, agosto e setembro de 2020, é significativa em comparação ao mesmo período de 2019. A redução de homicídios foi de 7,08%; estupro, 42,79%; tentativa de homicídio, 12,66%; lesão corporal seguida de morte, 50%; roubo de veículos, 49,56%; roubo de carga, 55,26%; roubo a transeunte, 44,81%; roubo em residência, 37,08%; roubo em comércio, 44,07%; roubo em propriedade rural, 44,12%.

Quando comparados os dados de 2020 com os de 2018, antes da gestão de Ronaldo Caiado, os números são ainda mais expressivos. Os crimes de homicídio reduziram em 31,40%; latrocínio, em 56,25%; lesão corporal seguida de morte, 61,90%; roubo de veículos, em 75,70%; roubo de carga, 75,98%; roubo a transeunte, em 60,83%; roubo em residência, 36,52%; roubo em comércio, 59,33%; roubo em propriedade rural, 48,38%; e roubo a instituições financeiras, 100%.

Produtividade

O secretário ainda fez um balanço da produtividade das forças de segurança de Goiás. Desde o início da gestão de Ronaldo Caiado até hoje foram realizadas 8.521 prisões e lavrados 46.437 autos de prisão em flagrante. Além disso, ocorreram também 1.672.468 abordagens.

Durante as mais de 32,8 mil operações em todo o Estado de Goiás, os policiais civis e militares apreenderam uma quantidade superior a 100 toneladas de drogas e mais de 10 mil armas de fogo. Só na zona rural, o número de operações deflagradas em 21 meses passa de 60. O quantitativo resultou em pelo menos 120 prisões, recuperação de mais de 450 cabeças de gado e apreensão de cerca de 75 armas de fogo.

Outro ponto de destaque foi a implantação de uma rede de combate à corrupção, composta pela Superintendência de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado e pela Delegacia Especial de Combate à Corrupção da Polícia Civil. Esse trabalho conta ainda com a atuação de grupos de perícia especializados. Além disso, o Governo de Goiás fortaleceu as delegacias especializadas já existentes e criou o Disque Combate à Corrupção 181.

Até o momento, foram realizadas mais de 150 operações de combate à corrupção nos 21 meses de governo, o que gerou uma expectativa de economia de mais de R$ 1 bilhão, até 2022, já que foram desmanteladas quadrilhas que agiriam por anos desviando recursos públicos.

Batalhão Rural

Especificamente para levar mais segurança à população que vive na zona rural, o Governo de Goiás implantou o primeiro Centro Integrado de Comando e Controle Rural do Brasil, entregou novas viaturas e aparelhos tecnológicos, como drones, notebooks e celulares com acesso à internet, para otimizar o trabalho dos policiais que fazem a proteção por meio do georreferenciamento.

Também foram realizados o cadastro de mais de 25 mil propriedades rurais, ações e visitas comunitárias, bloqueio de vias e captura de foragidos. Em pouco mais de um ano de atuação, o Batalhão Rural já está entre as três unidades mais produtivas da corporação, com mais de 12 mil atendimentos, além de prisões, recuperação de insumos e animais e apreensão de armas de fogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário