terça-feira, 27 de outubro de 2020

TRE-GO cassa candidatura de mãe do presidente do Pros em Planaltina de Goiás


O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) impugnou a candidatura de Maria Aparecida dos Santos, conhecida como Dona Cida, para a Prefeitura de Planaltina de Goiás pelo Partido Republicano da Ordem Social (Pros). Ela é mãe do presidente nacional da sigla, Eurípedes Júnior.

Na decisão, a juíza da 44ª Zona Eleitoral, Jordana Brandão Alvarenga Pinheiro Lima, destacou que Dona Cida foi julgada por crimes eleitorais cometidos em 2018, quando foi candidata a deputada federal. “Praticou diversas irregularidades na arrecadação e gastos ilícitos de recursos na campanha eleitoral, sendo condenada”, pontuou a magistrada.

Após a impugnação da candidatura, o Pros informou que a chapa foi reformulada. Até então candidato a vice, Carlinhos do Egito (Pros) assumiu a disputa para a Prefeitura da cidade do Entorno do Distrito Federal. O número dois da chapa passou a ser Fabrício Macedo, filho de Dona Cida e irmão de Eurípedes Júnior.

O prazo para a substituição de candidatos que disputarão as eleições municipais de 2020 se encerrou nesta segunda-feira (26/10).

Avião e helicóptero

Assim como a mãe, Eurípedes Júnior tem problemas com a Justiça. Ele é investigado pela Polícia Federal por supostos desvios de dinheiro da Prefeitura de Marabá (PA).

Também há indícios de que o presidente da legenda tenha agido para destruir provas da compra de um avião com recursos da Saúde, destinados pela União na mesma cidade paraense.

Essa não é a única polêmica envolvendo Eurípedes e aeronaves. Em 2015, o partido usou R$ 2,4 milhões do Fundo Partidário, dinheiro público, para adquirir um Robinson R66 Turbine, prefixo PP-CHF. O helicóptero foi comprado à vista.

Além do helicóptero, o Pros tinha um avião adquirido em 2014 para auxiliar no deslocamento dos integrantes do partido. A compra do bimotor, inclusive, virou alvo da Operação Partialis, deflagrada pela Polícia Federal e Receita Federal.

Destituição e agressão contra própria filha

Em janeiro deste ano, Eurípedes Júnior foi destituído do cargo de presidente do Pros, após reunião do diretório nacional da sigla. Dias depois, no entanto, ele conseguiu na Justiça a reintegração de posse da sede nacional da sigla, em Brasília, que estava sendo ocupada pela ala dissidente dos integrantes da legenda. Com a decisão, Eurípedes retomou o controle do partido.

No mesmo mês, ele foi acusado de agredir fisicamente a própria filha, na sede da sigla, em Planaltina de Goiás. A briga teria sido motivada por uma discussão entre pai e filha, envolvendo um veículo em nome de Eurípedes.

Fonte: Metrópoles

Nenhum comentário:

Postar um comentário