segunda-feira, 30 de novembro de 2020

STJ nega habeas corpus a suspeito de mandar matar advogados em Goiânia


O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido de habeas corpus do fazendeiro Nei Castelli, suspeito de mandar matar os advogados Marcus Aprígio e Frank Carvalhaes dentro de um escritório, em Goiânia. A decisão foi proferida pelo ministro Humberto Martins, na última semana.

Esta foi a segunda vez que a Justiça negou a soltura de Castelli. No dia 20 de novembro, o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) negou o pedido feito pela defesa do fazendeiro. Na ocasião, o desembargador Nicomedes Borges, da 1ª Câmara Criminal, argumentou que as alegações da defesa do suspeito devem ser avaliadas por um colegiado de desembargadores.

No entanto, em avaliação provisória e superficial, argumentou que a prisão preventiva atende critérios de legalidade e determinou que o suspeito permanecesse detido.

Após a primeira negativa, a defesa de Nei Castelli recorreu ao STJ. No entendimento do ministro Humberto Martins, porém, o habeas corpus não pode ser apreciado pelo órgão, já que não foi examinado pelo Tribunal de origem, no caso o TJ-GO, que ainda não julgou o mérito do writ originário. O ministro também argumentou que não existe ilegalidade na prisão.

A reportagem entrou em contato com a defesa de Castelli e aguarda um posicionamento.

Relembre

O crime ocorreu no dia 28 de outubro, no escritório dos advogados localizado no Setor Aeroporto, em Goiânia. De acordo com as investigações, Nei Castelli teria contratado dois pistoleiros por R$ 100 mil para cometerem os homicídios. O homem também ofereceu até R$ 500 mil para os suspeitos não contarem sobre a participação dele no crime.

As investigações apontam que o crime foi cometido porque os advogados conquistaram em novembro do ano passado, na justiça, ação de reintegração de posse de uma propriedade rural em São Domingos, no Nordeste Goiano, atualmente ocupada por familiares do fazendeiro. Propriedade está avaliada em quase R$ 50 milhões.

Nei Castelli foi o último suspeito de envolvimento no crime a ser detido. Outras três pessoas já haviam sido presas por participação no duplo homicídio. Um quarto suspeito morreu em confronto com a Polícia Militar (PM) do Tocantins.

Fonte: Mais Goiás

Maguito deixou 'escorrer algumas lágrimas' ao ser informado que foi eleito prefeito de Goiânia


Filho de Maguito Vilela (MDB), Daniel Vilela contou que o pai deixou "escorrer algumas lágrimas" ao saber que fora eleito prefeito de Goiânia, na noite de domingo (29). Segundo ele, após reduzirem o nível de sedação do político, que está há mais de um mês internado em tratamento contra a Covid-19, o informaram da vitória nas urnas.

No entanto, de acordo com Daniel, por causa do tipo de sedativo, o pai já não deve se lembrar de ter recebido a notícia.

"Ontem foi um dia especial não só pela eleição, mas de notícias muito boas sobre a recuperação dele. Foi reduzida bastante a sedação. Ele chegou a ficar bem acordado, à noite foi até comunicado a ele que ele havia ganhado a eleição, e ele acabou [deixando] escorrer algumas lágrimas, chegando a ficar emocionado", disse.

Maguito segue internado, nesta segunda-feira (30), no Hospital Albert Einsten, em São Paulo (SP). Ele foi hospitalizado em Goiânia há quase 40 dias, após ser diagnosticado com Covid-19. Com a piora no quadro, foi transferido para a capital paulista para continuar o tratamento, onde está desde 27 de outubro.

O pneumologista Marcelo Rabahi, que vem acompanhando o quadro de saúde de Maguito, analisa se o paciente já pode passar por um teste para ver se consegue respirar sem ajuda de aparelhos. Segundo o médico, essa avaliação deve ser feita até terça-feira (1°).

“Os exames de ontem foram muito bons. Estamos decidindo se faremos o teste de 12 horas sem a ECMO [aparelho externo ligado ao corpo que ajuda na respiração] hoje ou amanhã. Há uma semana ele precisa da máquina só para retirada do gás carbônico, ou seja, há dias que ele já consegue inalar o oxigênio sem ajuda”, detalhou.

O médico explicou que a inflamação no pulmão de Maguito é o que o mantém internado. Para o pneumologista, “há indícios de que ele está se recuperando” dessa condição.

Histórico de internação

O político testou positivo para o coronavírus em 20 de outubro. Dois dias depois, foi internado em um hospital de Goiânia.

Em 27 de outubro, ele recebeu diagnóstico de até 75% de inflamação nos pulmões e um alerta para o nível crítico de saturação de oxigênio no sangue. No mesmo dia, foi transferido para São Paulo.

Em 30 de outubro, Maguito foi entubado, pela primeira vez, após piora no quadro respiratório. Em 8 de novembro, ele voltou a respirar sem o equipamento. O político apresentou piora e voltou à ventilação mecânica em 15 de novembro, dia da votação. Dois dias depois, o candidato iniciou o tratamento respiratório com ECMO.

Em agosto deste ano, Maguito perdeu duas irmãs para a Covid-19 em um intervalo de menos de dez dias. Elas tinham 82 e 76 anos e moravam em Jataí, cidade natal do político localizada no sudoeste de Goiás.

Fonte: G1

Prefeitura de Caldas Novas-GO retira decoração de Natal após morte de menina de 8 anos


Após Júlia Franco, de 8 anos, morrer ao encostar em um poste com luzes de decoração natalina instalado na Praça Mestre Orlando, no Setor Central de Caldas Novas e sofrer uma descarga elétrica na noite de sexta-feira (27), a prefeitura retira nesta segunda-feira (30) toda a decoração de Natal que estava instalada no local.

A menina chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), levada para o Hospital Nossa Senhora Aparecida, mas não resistiu. A Polícia Civil (PC) informou que uma equipe da Polícia Técnico-Cientifica esteve no local e realizou perícia. O corpo da menina foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) e passou por exame cadavérico. O corpo da menina foi sepultado na manhã de sábado em um cemitério do município.

Em vídeo, o titular da delegacia de Polícia de Proteção à Criança e Adolescente do município, Rodrigo Pereira, informou que foi aberto inquérito que tem como objetivo esclarecer como tudo ocorreu, identificar e individualizar os responsáveis envolvidos na morte da criança.

A Prefeitura de Caldas Novas, em nota, lamentou a morte de Júlia, prestou condolências e informou “que a equipe de montagem do local, são profissionais capacitados, que realizam esse trabalho há 10 anos.”

O prefeito de Caldas Novas, Evandro Magal (PP), gravou um vídeo lamentando a morte de Júlia Franco, prometeu apuração do caso e disse que a prefeitura irá prestar o apoio necessário à família. “Quem é pai, e eu sou pai de três filhos, sabe a dor. Nós imaginamos o que essa família está passando neste momento”, disse Magal.

Fonte: O Popular

Em Cristalina-GO, final de semana é marcado por manifestações por mortes em ação policial


O final de semana foi marcado por novas manifestações em Cristalina, município localizado a 280 km de Goiânia, cobrando justiça pela morte de três funcionários de uma propriedade rural.

O caso aconteceu na noite da última quarta-feira (25) e policiais militares da patrulha rural atiraram 43 vezes contra os homens que não resistiram. Aleff Nunes Souto, de 22 anos, Francisco da Silva Chaves, de 41, e Nelson da Silva Cardoso, de 38 teriam saído da sede da fazenda para caçar javalis e não retornaram mais. Segundo a PM, houve confronto.

No sábado (28), amigos e familiares voltaram a se reunir com carreata pelas ruas da cidade e também pararam em frente ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) cobrando investigação por parte da Polícia Civil. “Queremos justiça. Três trabalhadores, pessoas decentes. Vamos fazer uma oração em homenagem a esses três cidadãos que perderam as vidas nas mãos destes ordinários”, afirmou Flávia Cristina Lopes Machado - que era vizinha de Aleff e amiga de seus avós - em um vídeo compartilhado nas redes sociais.

“Cristalina não tem raiva de PM, só queremos justiça. Sabemos que existem policiais honrados que cumprem a sua função corretamente. Cristalina quer justiça para aqueles que não cumprem o seu papel, que não honram a sua farda, que se acham justiceiros e que querem enganar uma população inteira. Não vamos parar. Caçadores de outras cidades estão fretando um ônibus para novas manifestações. Não vamos parar, foram três vidas inocentes. Os policiais têm que pagar pelo erro deles”, diz uma das participantes em outro vídeo.

Na sexta-feira (27) já haviam sido realizados dois protestos em Cristalina pedindo justiça para a morte dos três trabalhadores. O primeiro protesto foi no início da tarde e foi no formato de carreata. Já o segundo foi na praça da prefeitura e os manifestantes levaram uma faixa e balões pretos e brancos. Também houve carreata e buzinaço em apoio.

No próximo sábado, 5 de dezembro, um novo encontro está agendado e o objetivo é reunir não apenas amigos e familiares mas também grupos de caçadores profissionais. Integrantes da associação Cacs do Planalto, do Distrito Federal (DF) gravaram um vídeo em solidariedade às famílias e se dispuseram a prestar qualquer apoio jurídico que eles possam precisar. “Não estamos aqui pra julgar ninguém, mas estamos à disposição das famílias e queremos que a justiça seja feita”, pontuou um dos participantes.

Fonte: O Popular

domingo, 29 de novembro de 2020

Casal é preso por tráfico de drogas em Posse-GO


Um casal foi preso neste domingo (29) em Posse, na divisa de Goiás com a Bahia, suspeitos de tráfico de drogas. A abordagem foi realizada pelo Comando de Comando de Operações de Divisas (COD) da Polícia Militar e o condutor estava com aproximadamente 1,6 kg de cocaína na cintura.

No carro, a polícia também encontrou porções de maconha. Os dois foram detidos e encaminhados para a Delegacia de Posse. Ele foi autuado pelo crime de tráfico de drogas e a mulher pelo crime de associação ao tráfico de drogas.

Os dois estavam em um veículo HB20, de cor branca e durante a abordagem o motorista foi questionado se havia mais droga dentro do carro. Ele afirmou que o restante da mercadoria estava em uma mochila, no banco traseiro.

O suspeito disse também que havia comprado a droga na rodoviária de Goiânia de uma pessoa desconhecida e que havia pago R$ 19 mil.

A venda seria efetivada em Barreiras, na Bahia, por R$ 22 mil. Além disso, ele não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Fonte: O Popular

Jovem de 16 anos é assassinado em Campos Belos-GO


Um adolescente de 16 anos foi assassinado ontem (28) à tarde em Campos Belos, no nordeste goiano, região da Chapada dos Veadeiros.

Ele estava no Centro Olímpico do Setor Cruzeiro, local que reúne muitos jovens e crianças nesse horário, para a prática de diversos tipos esportes e lazer. 

Uma pessoa anônima ligou para a Polícia Militar, informando da ação violenta. A PM chegou ao local poucos minutos depois.

Já no Centro Olímpico, os militares foram informados de que a vítima já tinha sido levada por socorristas do SAMU (Serviço Médico de Urgência).

Mateus Cirqueira foi encaminhado para o Hospital Municipal, mas devido à gravidade da lesão, foi transferido à Casa de Saúde Nossa Senhora da Conceição, um hospital privado.

No entanto, o adolescente, mesmo nas mãos dos médicos, não resistiu aos graves ferimentos e morreu.

Até o momento da edição deste texto, ainda não se tinha a informação de quem teria praticado o homicídio e as razões para tão grave ação criminosa.

Esta é a segunda morte violenta de jovens na cidade, em pouco menos de 15 dias. 

No último dia 17, um outro jovem também foi morto a facadas, no setor Vila Esperança. O motivo do assassinato teria sido uma suposta rusga por ex-namorada. 

Infelizmente é mais uma vida jovem perdida na cidade, por uma violência juvenil, flagrantemente desprovida de valores humanos básicos, como o respeito ao próximo, às divergências e amor à vida.

Fonte e texto: Dinomar Miranda

Mãe tirou foto da filha pouco antes de ela morrer após tocar em decoração de Natal, em Caldas Novas-GO


"O que era para ser um passeio em família se tornou uma tragédia". É assim que a mãe de Júlia Honória Franco, de 8 anos, definiu o episódio que matou a menina, em Caldas Novas, no sul de Goiás. Ela sofreu uma descarga elétrica ao tocar na estrutura metálica da decoração de Natal instalada em uma praça da cidade.

Aos prantos, Rejany Honória de Almeida contou que a filha estava feliz naquele dia e que tirou fotos da menina pouco antes de ela levar o choque.

Júlia morreu na noite de sexta-feira (27). Ela chegou a ser socorrida e levada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. A Polícia Civil apura o caso. A Prefeitura de Caldas Novas, responsável pela montagem da decoração, disse que se colocou à disposição das investigações.

"Meu esposo pegou ela no colo e chamou o Samu. Nós a levamos ao hospital, mas ela deu uma parada cardíaca. Deus a levou", desabafa.

Rejany contou que ela, o esposo e os três filhos tinham saído para ver a decoração natalina na Praça Mestre Orlando. Cerca de 30 minutos antes do ocorrido, ela fez uma foto de Júlia no local. Depois, as crianças começaram a correr e brincar. Foi quando a menina levou o choque./

"Júlia estava toda feliz. Quando as crianças estavam brincando perto de uma estrutura metálica onde vai ser feito um túnel de luzes, ela colocou a mão nesse túnel e ficou grudada a mãozinha dela ali", se recorda.

A menina foi enterrada no sábado (28), em Caldas Novas. De acordo com a mãe, Júlia gostava de cantar na igreja e sonhava em ser veterinária.

Pedido de justiça

Rejany pediu que providências sejam tomadas para evitar que outras pessoas passem pela mesma situação que a família dela. Segundo relato da Polícia Militar no boletim de ocorrência, um eletricista testou os cabos após o ocorrido e constatou que eles estavam energizados.

"Peço que as autoridades olhem aquelas estruturas, porque ela estava ligada e passando energia. Quero alertar para que não aconteça com outras famílias", desabafa.

A Polícia Civil já instaurou inquérito para apurar o caso, esclarecer o que provocou a morte e responsabilizar os envolvidos.

A Prefeitura de Caldas Novas, em nota divulgada no sábado, lamentou o ocorrido, e disse que "se coloca à disposição para ajudar no que for preciso". Afirmou ainda que a montagem da estrutura é feita por "profissionais capacitados, que realizam esse trabalho há 10 anos".

A Secretaria de Turismo informou que toda a iluminação vai ficar desligada até que uma equipe de profissionais faça uma vistoria em toda a parte elétrica para garantir a segurança dos frequentadores da praça.

Fonte: G1

Expectativa de vida em Goiás é de 74 anos e sete meses


A expectativa de vida ao nascer em Goiás é de 74 anos e sete meses, conforme estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados são referentes ao ano de 2019 e apontam um aumento de dois meses e 12 dias em relação a 2018, quando a expectativa era de 74,5 anos.

Os dados foram divulgados na quinta-feira (26) e apontam ainda que Goiás tem a menor esperança de vida ao nascer do Centro-Oeste. No Distrito Federal a expectativa é de 78,9 anos. Já em Mato Grosso do Sul a estimativa é de 76,3 anos. Em Mato Grosso, a média é de 74,9 anos.

Comparação com 1940

Essa estimativa vem crescendo desde 1940. Naquele ano, a expectativa de vida do goiano ao nascer era de 45,5 anos. Com o estudo feito em 2019, houve um aumento de 29,2 anos neste período;

Esse resultado foi inferior ao nacional. Os brasileiros hoje vivem, em média, 31,1 anos a mais do que em meados do século passado, pois a expectativa era 45,5 anos em 1940 e passou para 76,6 anos em 2019.

Homens e mulheres

A expectativa de vida das mulheres é de 78 anos, o que indica um leve aumento em relação aos 77,9 anos de 2018. Para a população masculina, o aumento foi de um mês com relação a 2018, passando de 71,4 para 71,5. Ou seja, a longevidade feminina é de quase sete anos acima da dos homens.

Apesar do crescimento, a diferença da esperança de vida ao nascer entre homens e mulheres se manteve em 6,5 anos nos dois períodos analisados, conforme o IBGE.

Em 1980, de cada 1 mil homens que atingiam os 60 anos de idade, apenas 286 completavam os 80 anos, quantidade que passou para 506 em 2019. Para o sexo feminino, a cada 1 mil, subiu de 338 para 618 o número de mulheres que chegavam aos 80 anos.

Mortalidade infantil

O IBGE constatou que a mortalidade infantil em Goiás caiu em relação ao ano passado, mas em ritmo menor do que a nacional. A mortalidade das crianças menores de 1 ano é um importante indicador da condição de vida socioeconômica de uma região, de acordo com o instituto.

Conforme estudo, em 2000 ocorriam 23,9 óbitos de crianças menores de 1 ano para cada mil nascidos vivos, contra 13,8 óbitos por mil em 2019, queda de 10,1 óbitos por mil em 19 anos, ritmo menor do que o do Brasil que registrou queda de 17,1 óbitos por mil no mesmo período.

Fonte: G1

Maguito Vilela, do MDB, é eleito prefeito de Goiânia


Maguito Vilela, do MDB, foi eleito neste domingo (29) prefeito de Goiânia para o mandato de 2021 a 2024. Internado em tratamento contra o coronavírus há mais de 1 mês, o candidato derrotou Vanderlan Cardoso, do PSD. Ao fim da apuração, ele teve 52,60% dos votos válidos. Foram 277.497 votos no total.

O político foi ao segundo turno e foi eleito sem saber dos resultados das urnas por estar sedado e na UTI de um hospital de São Paulo.

Vanderlan Cardoso teve 250.036 votos, o que totalizou 47,40% dos votos válidos. A eleição em Goiânia teve 36,75% de abstenção, 4,26% votos brancos e 9,86% votos nulos.

Após o resultado, o vice-prefeito da chapa, Rogério Cruz, fez uma declaração sobre a vitória da chapa. "Agradecemos ao eleitor por depositar seu voto no Maguito Vilela. Ele se multiplicou em Goiânia, porque criamos uma força tão grande de aliados. Todo o plano de Maguito será executado nos próximos 4 anos e ele estará ao nosso lado", disse.

Maguito Vilela tem 71 anos, é advogado, casado com Flávia Teles e tem ensino superior completo. Ele tem um patrimônio declarado de R$ 2.736.162,10.

O vice é Rogério Oliveira da Cruz, do Republicanos, que é vereador em Goiânia e tem 54 anos.

Os dois fazem parte da coligação Pra Goiânia Seguir em Frente, formada pelos partidos PMB/PTC/Patriota/MDB/Republicanos/PC do B.

Carreira política

Maguito já foi eleito vereador, deputado estadual e federal e vice-governador. Também foi governador de Goiás entre 1995 e 1998, quando disputou e ganhou a eleição para senador. Em 2007, foi nomeado por Guido Mantega, então ministro da Fazenda, como vice-presidente do Banco do Brasil.

Antes de disputar a eleição deste ano, foi eleito prefeito de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, por duas vezes, em 2008 e 2012.

Covid-19

Maguito Vilela testou positivo para o coronavírus no dia 20 de outubro. Dois dias depois, ele foi internado em um hospital de Goiânia. No dia 26, para garantir maior suporte ventilatório e tratar as inflamações no pulmão, ele foi transferido para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

No dia seguinte, foi levado ao Hospital Albert Einstein, em São Paulo, para dar continuidade ao tratamento contra o coronavírus, onde está até o momento. Maguito foi entubado no dia 30 de outubro, chegou a ser extubado em 8 de novembro, mas voltou à ventilação mecânica no dia 15, durante o 1º turno das eleições.

Fonte: G1

sábado, 28 de novembro de 2020

Segunda onda de covid-19 em Goiás pode vir em janeiro. Vigilância em Saúde diz que aumento de casos possa ocorrer no Nordeste Goiano


Um possível novo aumento de casos de covid-19 pode acontecer em Goiás durante o mês janeiro, o que pode significar a chegada da chamada segunda onda da doença no estado. Em entrevista à Rádio Sagres na manhã de sexta-feira (27), a superintendente de vigilância em Saúde, Flúvia Amorim, apontou que as festas de fim de ano podem ampliar as contaminações.

Estudo da FioCruz e levantamento da Universidade Federal de Goiás (UFG) indicam que esse aumento de registros tem boa probabilidade de ocorrer já no primeiro mês de 2021. Mas a superintendente alerta que depende do comportamento das pessoas. Sobretudo dos jovens.

Flúvia Amorim diz que é possível que o aumento de casos siga o fluxo registrado anteriormente pela doença, ou seja, da Europa para estados do Sudeste e, por último, Centro-Oeste. “Na Europa o aumento no número de casos ocorreu devido principalmente ao comportamento dos jovens. Em Goiás temos registros de festas e aglomerações sem nenhum tipo de proteção”, aponta.

A superintendente de vigilância em Saúde ainda avalia que é possível que o registro de aumento de casos possa ocorrer sobretudo no Nordeste goiano, onde a taxa foi sempre mais baixa no estado.

Registros

Por enquanto, segundo a superintendente, ainda não há aumento. Embora o sistema da Secretaria de Estado de Saúde indique alta nos números isso se deve à instabilidade nos servidores nacionais desde o dia 6 de novembro. O que dificulta o registro por parte dos municípios. Assim, quando o sistema retorna ao funcionamento, há um pico de registros.

No entanto, Flúvia Amorim aponta que é preciso observar os indicadores de óbitos por data de ocorrência, não de registro. “Quando vê a curva de óbito por dia de registro, dá para ver claramente essa oscilação [causada pela queda no sistema]. Há falsa impressão de aumento de óbitos. Mas o fato de não estar acontecendo aumento não quer dizer que não vá acontecer. Estudo da FioCruz aponta que Goiás pode ter aumento em 6 semanas”, alerta.

Além do número de casos e óbitos, a taxa de ocupação de leito é outro indicador de aumento na contaminação por covid-19 em Goiás. Neste sentido, a ocupação está baixa, varia entre 35% e 40%, o que é considerado razoável pela Secretaria de Estado da Saúde. Goiás já chegou a ter 95% de leitos ocupados.

Fonte: Mais Goiás

Posse-GO: A pequena Alice, de 2 anos, teve paralisia cerebral e precisa de sua ajuda


A pequena Alice, de apenas 2 anos, de Posse, no nordeste goiano, nasceu prematura e por falta de oxigênio no cérebro ela teve paralisia cerebral e precisa de órteses e de um andador especial.

Há também despesas com fisioterapia e viagens até Brasília.

Sem condições financeiras de bancar os custos, a família criou uma vaquinha online para que mais pessoas possam colaborar com o tratamento. Clique aqui e acesse a vaquinha online

Órteses custa cerca de 2 mil, o andador especial custa em média 5 mil reais.

“Conto com a ajuda de vocês porque nesse momento não temos amparo financeiro para a compra desses aparelhos”, disse Leide, mãe da Alice.

Para contribuir com doações:

Conta Poupança: 41951-4

Agência: 2734  Operação: 013

Leide Gabriel P Souza

Caixa Econômica Federal

“Estamos há quase dois anos sem referência de corrupção”, afirma Ronaldo Caiado


O governador Ronaldo Caiado destacou as ações de Estado referentes ao combate enérgico à corrupção e à defesa da correta aplicação de recursos públicos ao participar do workshop “O papel da CGU no combate à corrupção no Brasil”, realizado pelo ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Campos Rosário, na noite de quinta-feira (26/11), na Associação de Subtenentes e Sargentos de Goiás (Assego), em Goiânia. “Estamos há quase dois anos sem referência de corrupção. As pessoas estão vendo que, aquilo que se praticava e era rotina, hoje não ocupa mais o noticiário”, comparou o governador.

Antes de passar a palavra ao palestrante da noite, Caiado destacou o prestígio de Wagner Campos junto ao presidente Jair Bolsonaro. “Esse jovem ministro, em sua trajetória de vida, se debruçou em se qualificar como um dos maiores especialistas na área de combate à corrupção, ocupando a CGU, setor indispensável para que o dinheiro público seja corretamente aplicado.”

Delação premiada, os pilares de trabalho da CGU e portal da transparência foram alguns dos tópicos da palestra, na qual Rosário também elogiou o Compliance implantado em Goiás. Em coletiva antes do evento, o ministro informou que um novo plano anticorrupção do Governo Federal deve ser lançado em dezembro. “É um plano estruturado para os próximos cinco anos, com ações bastante importantes. Algumas aderentes ao que organismo internacionais que cuidam da área preconizam; outras, são inovações e há medidas que já adotamos”, detalhou.

Avanços

Entre as iniciativas de sua gestão, o governador Ronaldo Caiado destacou o Programa de Compliance Público de Goiás, sob a coordenação da Controladoria-Geral do Estado, em vigência desde fevereiro de 2019 e implantado em 21 órgãos da administração pública, que, juntos, movimentam cerca de 90% dos recursos orçamentários do Tesouro Estadual. “Passamos a ter um processo harmônico, interligado, e com isso, mostramos resultados. Hoje a população sabe que o dinheiro público é aplicado corretamente, fazendo com que chegue aos mais necessitados, resgatando a dignidade e dando cidadania ao povo”, afirmou Caiado.

Para Rosário, independentemente do momento político, é sempre importante divulgar o trabalho e desenvolver na sociedade a preocupação para com o combate à corrupção, e que os recursos cheguem na ponta. “O que importa é o trabalho sério, contínuo, que seja de Estado e traga a população para dentro dessa luta.” Na avaliação do ministro,  a corrupção ainda é um sério problema no País. “São atos reprováveis porque tiram dos cidadãos, que necessitam de recursos públicos e da capacidade de atuação do Estado, a capacidade de ter esperança num futuro melhor.”

Ainda segundo Rosário, a sensação de que a corrupção aumentou no Brasil se deve a um índice de percepção mais acurado por parte sociedade. “Pioramos neste índice, mas é porque a gente detecta e investiga mais. Quando as pessoas ouvem mais falar do assunto têm a sensação de que aumentou. Mas, no geral, está havendo mais conscientização e tenho certeza que será um trabalho que a longo prazo trará resultados positivos.”

O deputado federal Vitor Hugo, que convidou e articulou a vinda de Rosário para a capital de Goiás, pontuou que o objetivo do workshop foi destacar os avanços do governo de Jair Bolsonaro no combate à corrupção e exaltou a qualidade do currículo do convidado. “Acredito piamente em nosso presidente. Sei que a escolha dele foi técnica, o que é grande diferencial de outros governos. Se vossa excelência compõe seu grupo seleto de ministros, é porque tem a confiança do presidente.”

O controlador-geral do município, Juliano Bezerra, que representou o prefeito Iris Rezende no ato, destacou que Caiado faz “total diferença no combate à corrupção no Estado, que é destaque nacional. “ Ressaltou também os avanços na transparência no âmbito municipal, a partir da parceria com a CGE. “De 246 municípios no Estado, saímos do 221º para 15º lugar, com nota 97 do Tribunal de Contas dos Municípios. Alcançamos também, na pandemia, o primeiro lugar entre as capitais na transparência com as despesas da Covid-19.”

Presidente da Assego, o subtenente Luiz Cláudio Coelho de Jesus entregou a Caiado um kit com chapéu e máscaras personalizadas, como forma de “singela homenagem” ao governador. O gesto, explicou, representa a gratidão de todos pelo governador “abraçar os nossos policiais e bombeiros militares como filho. Bater no peito e dizer ‘a minha polícia, meu corpo de bombeiros’”. “É de um governador paternalista como o senhor que precisamos, para combater a corrupção, extirpar de vez a corrupção e reduzir ainda mais os índices de criminalidade”, concluiu.

Também prestigiaram o workshop o superintendente da CGU Regional Goiás, Renato Barbosa Medeiros; a gerente de operações da Polícia Civil de Goiás, delegada Érika Brotel; coronel Newton Nery de Castilho, representante da Polícia Militar; superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Goiás, inspetor Vinícius Veiga Fleury; o prefeito de Mozarlândia, Walter Aleixo; prefeito eleito de Cachoeira Dourada, Rodrigo Rodrigues; além de membros das forças de segurança, presidentes de sindicatos e associações.

Fonte: Secom-GO

“Cobramos apuração urgente dos fatos”, diz prefeito de Cristalina-GO sobre morte de três pessoas pela PM


O prefeito de Cristalina, no Entorno do Distrito Federal, Daniel Sabino Vaz, o Daniel do Sindicato (DEM), fez uma publicação nas suas redes sociais dizendo que cobrou a investigação sobre as mortes de três trabalhadores rurais durante uma operação policial.

Familiares das vítimas se reuniram na Prefeitura com representantes da Patrulha Rural da Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO), comando responsável pela ocorrência. Moradores da cidade fizeram duas manifestações na sexta-feira (28) cobrando justiça para o caso.

Aleff Nunes Souto, de 22 anos, Francisco da Silva Chaves, de 41, e Nelson da Silva Cardoso, de 38, foram mortos por três policiais em uma fazenda a cerca de 40km da área urbana, dentro do município de Cristalina. Os militares alegaram legítima defesa, mas os três eram funcionários da fazenda e haviam saído para caçar javalis, segundo seus patrões, colegas e familiares.

“A nossa Cristalina está enlutada pela tragédia que aconteceu essa semana, resultando numa ação policial que teve a morte de três trabalhadores rurais, que eram pessoas idôneas, conhecidas na cidade e muito queridas pela família e pelos amigos”, escreveu o prefeito nas redes sociais.

Daniel diz ainda na publicação que a administração municipal decidiu auxiliar no diálogo entre a família e a PM-GO. Segundo o prefeito, participaram da reunião subcomandante da Patrulha Rural da Polícia Militar do Estado de Goiás, Major Moraes e o comandante local, Major Werik.

Durante a reunião, familiares das vítimas e seus patrões pediram uma nota da Polícia Militar, “ressaltando que (as vítimas) eram trabalhadores, técnicos e que tinham carteira assinada e sustentavam as suas famílias trabalhando dignamente, contrário ao que foi relatado para a imprensa estadual”, diz trecho da publicação do prefeito.

No final da nota, Daniel diz que está cobrando, junto com o Conselho Comunitário de Segurança, a apuração urgente dos fatos. Ele diz que está à disposição da família e deixa seus sentimentos em nome da população, que segundo o prefeito, está triste e chocada.

Protestos

Durante esta sexta-feira foram realizados dois protestos em Cristalina pedindo justiça para a morte dos três trabalhadores. O primeiro protesto foi no início da tarde e foi no formato de carreata. Já o segundo foi na praça da prefeitura e os manifestantes levaram uma faixa e balões pretos e brancos. Também houve carreata e buzinaço em apoio. Manifestantes prometem que farão mais protestos.

A manifestação foi acompanhada por policiais. No momento em que estava parada, participantes fizeram discursos direcionados para os militares presentes. “Juiz debaixo dessa terra é só o juiz lá no Fórum. Aqui, polícia nenhum (é juiz). A não ser que seja para defender a vida de vocês (policiais), se vocês tem que matar para defender a vida de vocês. Vocês não são juízes aqui e nem justiceiros para tirar a vida, ainda mais de inocentes, três inocentes”, declarou uma manifestante com apoio dos demais.

Fonte: O Popular 

Menina sofre descarga elétrica e morre após tocar em estrutura da decoração de Natal em praça de Caldas Novas-GO


Uma menina de 8 anos sofreu uma descarga elétrica e morreu após tocar em uma estrutura metálica da decoração de Natal instalada na Praça Mestre Orlando, em Caldas Novas, região sul de Goiás. Segundo a Polícia Civil, a criança, cuja identidade ainda não foi divulgada, chegou a ser socorrida e levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

O caso aconteceu na noite de sexta-feira (27). Um inquérito já foi instaurado para apurar as circunstâncias da morte.

Em nota, a Prefeitura de Caldas Novas, responsável pela decoração, lamentou a morte e disse que "se coloca à disposição para ajudar no que for preciso". Afirmou ainda que a montagem da estrutura é feita por "profissionais capacitados, que realizam esse trabalho há 10 anos" (leia a nota na íntegra ao final do texto).

Logo após se ferir, a garota foi socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada ao Hospital Nossa Senhora Aparecida. A criança morreu na unidade de saúde.

Estrutura 'energizada'

Em trecho que consta no boletim de ocorrência, policiais militares que estiveram no local relataram que um eletricista da prefeitura foi à praça após episódio.

Segundo os agentes, ao fazer um teste, ele constatou que "toda ferragem onde estavam instalados os anjos, [que fazem parte da decoração] em um percurso de aproximadamente 60 metros, estava energizada".

Por isso, ainda segundo o documento, foi preciso desligar a fonte de distribuição de toda a decoração para "evitar outro acidente". Fotos obtidas pela polícia mostram cabos de energia descascados que estavam sendo usados na montagem.

O delegado Rodrigo Pereira, responsável pelo caso, informou em nota que a Polícia Técnico-Científica já esteve no local para realizar a perícia. Destacou também que a investigação foi iniciada com o intuito de "esclarecer toda a dinâmica dos fatos e individualizar a responsabilidade dos envolvidos na morte da vítima."

Nota da Prefeitura de Caldas Novas:

A Prefeitura de Caldas Novas, através da Secretaria de Turismo, vem a público manifestar seu profundo pesar pela fatalidade ocorrida na última sexta-feira (27), na Praça Mestre Orlando. Uma criança, moradora do município, veio a óbito após encostar em um poste de energia, que faz parte da decoração natalina, deste ano. Apresentamos aqui as condolências aos familiares da criança.

Salientamos que a equipe de montagem do local, são profissionais capacitados, que realizam esse trabalho há 10 anos.

De todo modo, as investigações já começaram a ser feitas pela Polícia Civil e a Polícia Técnico Científica, com todo suporte da Prefeitura Municipal, que se coloca a disposição para ajudar no que for preciso. Aguardamos o resultado das investigações.

O momento agora é de solidariedade aos familiares, a essa dor que estão vivendo. Nossos sentimentos a todos.

Destacamos que o objetivo da decoração natalina é embelezar a cidade e promover mais um cartão postal para moradores e turistas. Entretanto, lamentamos a tragédia ocorrida.

Fonte: G1

sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Reconstituição da morte de advogados em Goiânia dura mais de 7 horas e tem relato ‘frio’ do atirador


Depois de mais de 7 horas, as polícias Civil e Técnico-Científica finalizaram o trabalho de reconstituição do assassinato dos advogados Marcus Aprígio Chaves, de 41 anos, e Frank Alessandro Carvalhaes de Assis, de 47. Ambos foram assassinados no escritório onde trabalhavam, em Goiânia. O intuito é ampliar o leque de provas e registrar, em fotos e vídeos, a dinâmica do crime.

O suspeito de efetuar os disparos contra as vítimas, Pedro Henrique Martins, participou da simulação. O delegado Rhaniel Almeida, responsável pelo caso, chamou atenção para a forma "fria" de como ele lida com os homicídios.

"Pessoa absolutamente fria, não altera em nenhum momento o comportamento, o temperamento. Fala da morte dos dois advogados de maneira muito tranquila. Sempre confessa toda a participação dele no crime", afirma.

Cinco pessoas são suspeitas de elo com o crime (veja detalhes abaixo). Quatro estão presas e uma morreu. A defesa de Nei Castlelli, apontando pela investigação como mandante do crime, informou em nota que, "neste momento da apuração, o seu constituinte exercerá seu direito ao silêncio".

A reportagem não conseguiu contato com os advogados dos outros suspeitos.

Detalhes do crime

Assim que chegou ao local do crime, Pedro Henrique foi levado direto à sede do escritório. Após meia hora, saiu acompanhado de vários policiais e foi até a esquina onde a moto usada na fuga foi deixada.

A polícia constatou que ele e um comparsa estudaram a rotina das vítimas e chegaram a almoçar por duas vezes em um restaurante que fica em frente ao escritório. Essa situação, segundo a polícia, ajuda a combater a tese de um latrocínio - roubo com resultado morte, alegada por Pedro Henrique quando foi detido.

O delegado Rilmo Braga apontou a importância da reprodução simulada, principalmente no que diz respeito ao conjunto de provas e a forma como o crime aconteceu. Tudo isso é essencial, segundo ele, em um possível julgamento do caso na Justiça.

"Tratando-se de um crime doloso contra a vida, o julgamento se dará por parte de pessoas da sociedade. Os julgadores não são juízes, não são magistrados, são cidadãos. Um cidadão se sente muito mais convencido assistindo fotografias e vídeos do que através de depoimento formalizado no papel. Por isso que essa diligência de reprodução simulada foi deliberada", destaca.

Fonte: G1

Boletim alerta para aumento de síndrome respiratória aguda grave no Nordeste Goiano


Sinal de alerta para a Covid-19, os casos de síndrome respiratória aguda grave (Srag) apresentam tendência de aumento na região Nordeste do Estado, segundo alerta o último Boletim InfoGripe da Fundação Fiocruz, referente à semana epidemiológica 47 (26/11). Nos dados que serviram de base para a análise dos pesquisadores se destacam algumas cidades. É o exemplo de Nova Roma, que teve acréscimo de 1.016% na quantidade de casos em função do problema de saúde entre os informes de 14 de outubro e o desta quinta-feira (26).

Em números absolutos, a variação foi de 6 para 67. Incrementos significativos neste indicador também foram verificados em municípios como Pirenópolis, Campo Limpo de Goiás e outros. Em um ranking elaborado pelo POPULAR com as 20 localidades que tiveram variações acima 50 registros de Srag ainda aparecem Alto Paraíso de Goiás, São João d’Aliança, e Alvorada do Norte (veja quadro).

O comparativo de mortes no mesmo período tem entre os municípios, cidades do Sul e Sudoeste de Goiás com as maiores variações porcentuais: Itumbiara (40,7%), Pires do Rio (37,5%), Goianésia (35,1%), Jataí (34,8%) e Santa Helena de Goiás. Quando os dados de óbitos são vistos de forma absoluta, os locais com maior população aparecem no topo da lista (veja quadro).

A indicação da Fiocruz foi elaborada considerando o longo prazo, ou seja, intervalo das seis semanas anteriores. Nesta avaliação, o Sudoeste tem indicativo de estabilidade. Já as porções mais ao Norte e a parte inferior do Leste são apontados com probabilidade moderada de queda. Quando a análise leva em conta o curto prazo - período de 3 semanas anteriores -, só os municípios do Sul têm indicativo de redução. Todo o restante do Estado apresenta tendência para a estabilidade.

A Srag é caracterizada por sintomas gripais mais exacerbados e que exigem uma internação. Ela pode ser causada pela Influenza ou outros problemas de saúde, mas neste momento, pesquisadores e autoridades consideram que a Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-CoV-2, tem participação majoritária nos registros do tipo. Os casos de Srag são investigados para saber a causa, mas nem sempre a identificação é possível.

Em todo o Estado, entre a primeira quinzena de outubro e esta semana, a variação nos casos foi de 18,8%. No mesmo período as mortes aumentaram 19,84%.

A Fiocruz ressalva que a interrupção na inserção de registros no Sivep-Gripe - sistema do Ministério da Saúde - entre o fim da semana epidemiológica 45 e começo da semana 46, provocou alteração nas estatísticas. A instituição considera que isto pode resultar em eventual perda na acuracidade da estimativa de casos recentes em alguns locais, mas acredita que com o passar do tempo, isto tenha menos interferência nos resultados.

Pesquisador da Fiocruz, Daniel Villela afirma que a parcela de registros da Covid-19 dentre os casos de Srag pode chegar a 90%, de maneira geral. Ele acredita que eventuais aumentos nas infecções provocadas pelo coronavírus podem estar associados ao abandono de medidas sanitárias por parte da população, como o uso de máscaras. Para ele, é importante ressaltar os cuidados e reforçar a capacidade de atendimento.

“O poder público tem de estar atento à questão do atendimento da rede de saúde. Para as pessoas terem leitos indicados para Covid-19 e Srag com uma taxa de ocupação (abaixo de 80%) que, inclusive permita ter uma absorção de um eventual aumento”, considera Villela.

Variação

A vice-presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de Goiás (Cosems-GO) e que também responde pela Secretaria de Saúde de São João d’Aliança, Andréia Abbes, diz que a situação na região é de relativo controle. Ela afirma que houve acréscimo na regional do Entorno Sul, onde estão municípios como Cristalina, Novo Gama e Valparaíso, mas não na macrorregião com o um todo. “O impacto da eleição nós ainda vamos ver”, ressalva.

Andréia diz que até o momento a rede pública tem dado suporte adequado aos casos de Covid-19. “A gente ainda consegue tratar os pacientes e os leitos estão com ocupação de 45%.” Ela lembra um caso de um paciente grave que precisou de internação. “A vaga saiu rápido, mas para Goiânia.” Este tipo de relato é motivo de questionamento da estrutura pelo presidente do Conselho Estadual de Saúde, Venerando Lemes. “Nós não temos uma rede adequada em Goiás.” Ele pontua que a alta complexidade está centralizada em Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia e com menor capacidade em Rio Verde, Itumbiara e Ceres.

Goianésia aparece com variação de 35% nas mortes entre os boletins de outubro e novembro. O secretário de Saúde de local, Hisham Hamida apresentou outros dados à reportagem e disse que o município aumentou a testagem e que há um cenário de “estabilização com tendência de queda”.

SES considera situação normal

Superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), Flúvia Amorim afirma que a região destacada no boletim da Fiocruz com tendência de alta já tinha esta previsão. Ela argumenta que os dados de Covid-19, uma das causas da síndrome respiratória aguda grave (Srag), demoraram a aumentar no Nordeste do Estado. “Se você pegar o painel nosso, você vai ver que esta é a região com menor número de casos, mesmo quando a gente teve um pico, lá foi uma região o menor número de casos.

A superintendente acrescenta que como a incidência foi baixa no começo, “há muitas pessoas suscetíveis”. A dinâmica da doença, pelo que a gente tem visto lá fora, é em local que você teve menos casos, você pode ter mais registros em um segundo momento, ou então ele vai ser o último a ter o aumento de casos.”

Sobre a estatística, Flúvia ressalva que, em função da instabilidade no sistema do Ministério da Saúde, as análises podem ser prejudicadas. Isto varia se ela é realizada pela data de inserção do caso ou pela data de ocorrência.

A respeito da distância de grande parte dos municípios do Nordeste do Estado para a região Central do Estado, onde está a estrutura mais robusta de saúde, Flúvia diz que há leitos de UTI em hospitais reservados para casos de Covid-19 em Formosa (5) e Porangatu (10).

Questionada sobre uma possível segunda onda, a superintendente disse que a SES-GO não considera que isto esteja ocorrendo em Goiás no momento, mas pode ocorrer no futuro. “Provavelmente, existe uma grande possibilidade de um novo aumento de casos daqui a um mês e meio.”

Fonte: O Popular

De Campos Belos-GO: Lucas Pires dá voz à juventude negra e periférica em livro sobre racismo


O livro de Lucas Pires teve mais de 40 mil downloads na Amazon, apenas nos primeiros meses de lançamento

Nascido e criado em Morada Nova, bairro da cidade de Campos Belos, no nordeste goiano, Lucas Pires é mais um jovem negro a lutar e vencer as estatísticas. Aos 20 anos, o goiano radicado em Brasília é hoje um dos autores independentes mais vendidos da Amazon com o livro Metafísica dos Clichês: Para Jovens que se Tornaram Adultos Cedo Demais, além de dar voz às minorias em palestras já assistidas por mais de 12 mil pessoas.

Filho de pai mecânico e mãe merendeira, e caçula de sete irmãos, o autor conta em seu texto como conseguiu driblar as dificuldades de uma infância sem privilégios, ingressar no curso de Direito em uma conceituada universidade do Centro-Oeste, o Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP), até o primeiro emprego no Palácio do Itamaraty. “Se eu consegui, por que não deixar um rastro, um passo-a-passo, para que as outras pessoas que, assim como eu, estavam perdidas e desacreditadas, consigam também?”, diz Lucas sobre a motivação para escrever o livro.

A obra aborda as injustiças sociais que se impõem a Lucas e seus antepassados no Brasil há mais de 500 anos, como a falta de acesso à educação de qualidade, assistência às minorias e desestrutura familiar.

Os temas podem ser complexos para quem tem tão pouca idade, mas não para quem sente na pele o peso da discriminação e, mesmo assim, venceu um a um cada obstáculo.

De Dona Nelcilia a Fernando Pessoa

Lucas Pires lembra que o gosto pela leitura lhe acompanha desde a infância. Aprendeu a ler com 3 anos e, aos 5, foi o orador da turma do primário. A maior incentivadora foi a avó Dona Nelcilia. Semianalfabeta, todas as tardes, a matriarca pedia ao neto para ler o Jornal dos Vicentinos para ela.

“Era engraçado porque nas duas últimas páginas deste jornal sempre havia uma poesia e uma anedota. Minha avó pedia para eu pular a poesia e ir direto para a anedota, mas meus olhos sempre corriam primeiro pela poesia”, conta. E, numa dessas passadas de olhos, conheceu os versos de Fernando Pessoa que, segundo ele, se tornariam o mantra de sua vida. “Não sou nada/ Não posso querer ser nada/ Nunca serei nada/ A parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo”.

Quando fez 18 anos, Lucas Pires veio a Brasília, sozinho, pela primeira vez, para prestar vestibular no IDP, e passou. Sem dinheiro para custear os estudos, precisou buscar auxílio no Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) e conseguiu. Assim, despediu-se da família e veio ao DF lutar por uma vida melhor.

O escritor ressalta as dores de ser um dos poucos estudantes pretos do curso. “É desconfortável, não me sinto representado. Somos poucos no ambiente acadêmico, mas a maioria entre os bolsistas. Também temos mais dificuldades para arrumar estágio. Só somos procurados no mês da Consciência Negra para mostrarem que há diversidade. Exibir o negro na vitrine está na moda, mas eles não nos têm em estoque”, considera.

Oportunidade

Escrever o livro, de forma totalmente independente e sem grandes pretensões, fez com que Lucas se surpreendesse com a repercussão. “Não há editora por trás do marketing, da diagramação… eu simplesmente meti a cara, sem entender dos desafios do mercado literário brasileiro”, salienta. O sucesso e visibilidade advindos da publicação abriram portas. “As oportunidades foram surgindo naturalmente, me deu lugar e espaço de fala. Querendo ou não, minha história é inspiradora e abrange campos diversos como superação, perseverança e empreendedorismo”, explica Lucas.

Desde que lançou Metafísica dos Clichês, Lucas Pires já esteve presente em eventos importantes como a Feira do Estudante e o Congresso Nacional da Juventude, ambos em Brasília. Também falou para todo o estado de Goiás no evento on-line, além de inúmeras visitas em escolas públicas do ensino médio do DF e Paraíba. “Tento passar que tudo bem ter dificuldades, não conseguir enxergar os caminhos e desistir às vezes. Mas o que você faz a partir disso? É sobre tomar uma rasteira, se levantar e bater de volta, correr, pular, voar…Fazer diferente”, sugere.

Lucas Pires ensina os jovens do novo milênio que, independente da cor e classe social, é um direito de todos sonhar grande e voar alto:

“A minha meta pessoal é ser eleito pela Forbes um dos jovens que podem mudar o mundo antes dos trinta anos, também quero publicar a versão física do meu livro pela Harper Collins, uma das maiores editoras do mundo com um grande com mais poder de impacto. Além disso, estou trabalhando muito duro para sentir os palcos do TEDx e viajar o Brasil e o mundo falando sobre as soluções para problemas tão presentes. Em resumo, estou caminhando para ser o Lucas Pires dos meus sonhos”, conclui.


Fonte: Metrópoles

Assembleia aprova projeto do Governo de Goiás que atualiza salário dos servidores da educação


Ao todo, 9.836 profissionais, entre ativos e inativos, serão beneficiados. Impacto orçamentário e financeiro da implementação do piso salarial profissional será de R$ 53,613 milhões. Também voltado para a área, foi aprovada matéria que autoriza abertura de crédito especial à Seduc no valor de R$ 1,370 milhão para pagamento de auxílio-funeral de servidores inativos

A Assembleia Legislativa de Goiás aprovou na quinta-feira (26/11), em segunda e definitiva votação, o projeto de Lei nº 4868/2020, que atualiza os vencimentos de professores efetivos ligados à Secretaria de Estado da Educação (Seduc). De autoria da Governadoria, o texto propõe adequar o salário de quem recebe abaixo do piso da educação. O projeto, que altera as Leis de nº 13.909, de 25 de setembro de 2001, e a de nº 13.910, segue para sanção do governador Ronaldo Caiado.

O projeto prevê a atualização salarial em 12,84%, a partir de 1º de janeiro de 2020, dos vencimentos dos cargos de professor (P-I e P-II) do Quadro Permanente e de professor assistente (PAA, PAB, PAC e PAD, do Quadro Transitório), ambos do Magistério Público Estadual. A proposta também estabelece que o pagamento retroativo a 2020 será realizado em parcela única. “Ninguém deverá ganhar menos que o piso. Então, o que o projeto prevê é o pagamento do piso de acordo com a lei”, explica a titular da Seduc, Fátima Gavioli.

Ao todo, 9.836 profissionais da educação em Goiás, entre ativos e inativos, serão beneficiados com o reajuste. O impacto orçamentário e financeiro da implementação do piso salarial profissional para os profissionais do magistério, referente ao exercício de 2020, será de R$ 53.613.580,92. As despesas decorrentes da lei serão custeadas com recursos do Orçamento-Geral do Estado.

A Secretaria de Estado da Economia também se pronunciou a favor da atualização. No seu posicionamento, ressaltou que, apesar da grave situação fiscal enfrentada pelo Estado e acentuada em razão da pandemia de Covid-19, o acréscimo de despesa com pessoal, no caso, está em conformidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e conta com saldo orçamentário suficiente.

O Governo de Goiás trabalha para que os servidores tenham seus pagamentos dentro do mês trabalhado e também está pagando direitos e vantagens aos profissionais que tinham a receber desde 1996.

De acordo com a Lei Federal nº 173/2020, até dezembro de 2021, em seu artigo 8 destaca que a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios afetados pela calamidade pública decorrente da pandemia da Covid-19 estão proibidos de conceder vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração a membros de Poder ou de órgão, servidores e empregados públicos e militares, além de não poderem realizar concurso público.

Também voltado para a área da Educação e de iniciativa do Governo de Goiás, foi aprovado pela Assembleia, em segunda e última votação realizada na quarta-feira (25/11), o Projeto de Lei nº 4869/20, que autoriza a abertura de crédito especial à Secretaria de Estado da Educação no valor de R$ 1.370.690, para pagamento do auxílio-funeral dos servidores inativos da área. Os recursos necessários para viabilizar a despesa são decorrentes de anulação parcial ou total de dotações orçamentárias.

Ajuda de custo para servidores da educação

No próximo mês de dezembro, o Governo de Goiás irá pagar uma ajuda de custo a todos os servidores da Seduc, diferente do que era feito em administrações anteriores que davam bônus somente para professores efetivos. Os benefícios somam R$ 100 milhões e serão destinados aos profissionais efetivos, aos comissionados e àqueles que possuem contratos temporários. Os valores acrescidos aos salários serão: R$ 1,297 mil para quem cumpre contrato de 20 horas, R$ 1,945 mil (30 horas) e R$ 2,591 mil (40 horas).

A ajuda de custo terá um valor proporcional aos meses trabalhados em 2020 e à carga horária de cada servidor. É uma forma do Governo de Goiás valorizar os profissionais da educação que tiveram custos extras com aquisição de equipamentos e aumento do uso de dados de internet durante o regime de aulas não presenciais, em razão da pandemia da Covid-19, e também em reconhecimento ao esforço dos educadores no resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Secretaria da Casa Civil - Governo de Goiás

Estado de saúde de Maguito Vilela é grave, mas estável


Internado há um mês em um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Israelita Albert Einstein, o candidato a prefeito de Goiânia Maguito Vilela (MDB) continua com estado de saúde grave, mas estável. O emedebista segue respirando com suporte de ventilador e de Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO), aparelho que funciona como um pulmão artificial. Maguito passa por tratamento contra complicações provocadas pela Covid-19.

As informações foram divulgadas em boletim médico publicado pelo hospital na quinta-feira (26). O texto foi assinado pelos pneumologistas Carmen Barbas e Marcelo Rabahi e pelo diretor médico e de serviços hospitalares do Albert Einstein, Miguel Cendoroglo.

De acordo com a equipe médica, os pulmões de Maguito respondem bem ao puxar oxigênio, mas ainda precisam de ajuda dos aparelhos para a liberação de CO₂. O paciente continua sedado e traqueostomizado em ventilação mecânica (o ar chega ao pulmão por meio de um tubo colocado na traqueia).

Maguito foi internado no dia 22 de outubro e levado para a UTI no dia 26, quando ainda estava em um hospital de Goiânia. O candidato foi transferido para o Albert Einstein no dia 27. Maguito foi entubado pela primeira vez no dia 30 de outubro, quando apresentou piora no estado de saúde.

Após sinais de melhora, o paciente retornou para a respiração espontânea e ficou quase uma semana consciente na UTI. Na época, a traqueostomia não foi necessária. O candidato foi entubado novamente no dia 15 de novembro, após apresentar piora pulmonar inflamatória e infecciosa.


Fonte: O Popular

Ossos achados em zona rural de Formosa-GO são de jovem que estava desaparecida há quase 2 meses, conclui polícia


A Polícia Civil concluiu que os ossos encontrados na zona rural de Formosa, no Entorno do Distrito Federal, são de Natália Nunes Moura, de 24 anos, que estava desaparecida há quase dois meses. O delegado Danilo Menezes, responsável pela investigação, acredita que ela foi morta, esquartejada e teve parte do corpo dada para cachorros comerem.

A comprovação da identidade da vítima se deu por meio de exame de DNA. O inquérito foi concluído na quarta-feira (25). Segundo o delegado Danilo Menezes, responsável pela investigação, o laudo cadavérico do Instituto Médico Legal (IML) indicou lesões e vestígios da causa da morte.

“Várias das lesões encontradas na ossada foram causadas pós-morte. A gente acredita que ela foi morta por algum mecanismo que não gerou sangue – enforcamento ou de alguma forma muito forte”, disse.

Natália havia sido vista pela última vez no dia 1º de outubro, ao sair para se encontrar com uma pessoa, na zona rural da cidade. Porém, ela não contou à família com quem tinha marcado o encontro.

Um homem de 44 anos, que trabalhava como caseiro em uma fazenda de Formosa e que conhecia a vítima, foi preso e indiciado como o principal suspeito de matar Natália. Segundo uma testemunha, os dois foram vistos conversando próximo ao local onde a jovem foi vista pela última vez, em 1º de outubro. Ele não teve o nome revelado. Por isso, a reportagem não conseguiu localizar a defesa dele.

“Ele negou, inicialmente, conhecer a Natália, depois afirmou que a conhecia, mas não a viu no dia e, por último, afirmou que esteve com ela no dia, que chegou a combinar um programa, mas que não deu certo e que ele acabou deixando-a sozinha na parada de ônibus e voltando para a fazenda”, relatou.

Corpo dado para cães

Os ossos de Natália foram encontrados no dia 30 de outubro, quase um mês após a morte dela. "Encontramos uma parte da escápula [osso do peito] e a coluna praticamente inteira. A suspeita é que ele tenha esquartejado o corpo e dado para cachorros comerem. A forma que foi encontrado indica mordidas deste tipo de animal", disse.

A avó da jovem, Jesuína Nunes dos Reis, lamentou que sequer consegue enterrar o corpo da neta.

“Eu quero justiça, porque uma coisa dessas não se pode fazer nem com um cachorro”, disse.

Segundo o delegado Danilo Meneses, o suspeito continua preso e responderá por homicídio qualificado.

Fonte: G1

Homem que tinha dito à polícia que a noiva se matou é indiciado por matá-la com um tiro na cabeça, em Formosa-GO


A Polícia Civil concluiu o inquérito relacionado à morte da professora Larissa Quintino de Souza, de 30 anos, que foi baleada na cabeça, em Formosa, no Entorno do Distrito Federal. O noivo dela, Hozannah Fonseca de Deus Filho, de 41, havia dito em depoimento que a vítima tinha se matado, mas a investigação constatou que ele matou a noiva e forjou o local do crime. O homem foi indiciado pelo feminicídio.

A reportagem não conseguiu localizar a defesa de Hozannah, que está preso, até a última atualização desta reportagem.

O crime aconteceu no último dia 2 de novembro. Segundo a polícia, Larissa foi baleada e morreu dentro de casa. A mãe da vítima, Maria Helena Quintino, disse, na ocasião, que o homem já tinha tentado matar a noiva antes.

O delegado Danilo Meneses, responsável pelo caso, fechou a investigação na quarta-feira (25). Ele disse que, a priori, o casal teve uma discussão no dia do assassinato, por motivo desconhecido. Relatou ainda que o relacionamento era permeado de ciúmes e até agressão por parte do noivo.

"Eles tinham passado a noite bebendo sem dormir e, provavelmente, houve uma discussão entre o casal. Pelo que a perícia apontou no local - copos quebrados, vasilhas no chão. Ele tinha sempre crises de ciúmes e já tinha agredido ela várias vezes", afirma.

Cena do crime alterada

Hozannah foi detido em flagrante, mas afirmou que a professora havia se matado. A polícia, então, passou a atuar no sentido de verificar se a versão procedia ou não.

Durante o trabalho de perícia, foi constatado que "partes da cena foram montadas com o fim de simular" o suicídio. O delegado disse que não houve necessidade de ouvir o suspeito novamente após a perícia, o que deve ocorrer ao longo da instrução processual.

Ele está preso em Formosa. Em caso de condenação, o noivo pode pegar uma pena de até 30 anos de prisão.

Fonte: G1

Policiais fazem reconstituição da morte de advogados em Goiânia


Equipes da força-tarefa que investiga o assassinato dos advogados Marcus Aprígio Chaves, de 41 anos, e Frank Alessandro Carvalhaes de Assis, de 47, e peritos da Polícia Técnico-Científica realizaram na quinta-feira (26) a reconstituição do crime no escritório onde as vítimas foram mortas no setor Aeroporto, em Goiânia. Pedro Henrique Martins, apontado pela investigação como o executor, também participa da simulação.

O trabalho começou por volta de 15h e foi coordenado pelo delegado Rhaniel Almeida. Os peritos acompanham a reconstituição para elaborar laudo técnico para a apuração.

A defesa de Nei Castelli, apontando pela investigação como mandante do crime, informou em nota que "neste momento da apuração, o seu constituinte exercerá seu direito ao silêncio, o que implica em não participar de uma eventual reprodução simulada dos fatos"

A nota ressalta que "mesmo estando presente na delegacia não foi informada sobre essa suposta diligência, motivo pelo qual desconhece o assunto".

A reprodução simulada é uma das medidas tomadas pela Delegacia de Investigação de Homicídios para fins da investigação criminal e serve para a análise da dinâmica do fato, de modo a eliminar dúvidas sobre o acontecimento.

O crime aconteceu em 28 de outubro no escritório dos advogados, por volta de 14h30. De acordo com a Polícia Civil, dois homens agendaram horário e esperaram pelo atendimento. A secretária os levou até a sala dos advogados, momento em que os criminosos colocaram as vítimas de costas e disparam.

Em primeiros depoimentos logo após ser preso no Tocantins, Pedro Henrique Martins, de 25 anos, suspeito de executar os advogados, apresentou a versão de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Para sustentar a tese, os suspeitos teriam levado do escritório R$ 2 mil em dinheiro.

A versão do preso foi derrubada pela investigação, que detectou posteriormente suposta ligação do crime com um fazendeiro que teria perdido a posse de uma fazenda avaliada em R$ 46 milhões, em ação defendida por Marcus e Frank na Justiça de Goiás. Essa tese passou a ser a principal linha da investigação policial.

Os cinco suspeitos de envolvimento na morte são:

Pedro Henrique Martins: suspeito de ter matado os advogados. Ele foi preso em Porto Nacional (TO), no último 30 de outubro;

Jaberson Gomes: suspeito de marcar horário com os advogados e acompanhar Pedro Henrique no dia do crime. Ele foi morto em confronto com a PM de Tocantins em 30 de outubro;

Hélica Ribeiro Gomes: namorada de Pedro Henrique, presa em 9 de novembro, Porto Nacional (TO);

Cosme Lompa Tavares: suspeito de ser o intermediário das mortes, preso em 9 de novembro em Palmas (TO);

Nei Castelli: fazendeiro suspeito de ser o mandante do crime. Ele foi preso em 17 de novembro, em Catalão.

Fonte: G1