quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Base de Ronaldo Caiado elegeu 132 prefeitos em Goiás


A base do governador Ronaldo Caiado (DEM) elegeu 132 prefeitos nas eleições municipais deste ano, o que representa 54% das cidades goianas. O cálculo considera partidos que compuseram a coligação de Caiado em 2018 e se mantêm no grupo governista mais aqueles que aderiram oficialmente ao governo. A legenda do governador deu um salto em número de prefeitos de 10 em 2016 para 62 em 2020.

Depois da chegada do novo grupo político ao Palácio das Esmeraldas, o DEM já havia conseguido ampliar para 30 a quantidade de cidades comandadas pelo partido.

A segunda legenda com mais prefeitos é o PP, que subiu de 23 para 30, e fechou apoio ao governo este ano a partir do acordo em Anápolis para aliança em favor do prefeito Roberto Naves. Ele saiu à frente no primeiro turno e está disputando com o deputado estadual e ex-prefeito Antônio Gomide (PT).

Em 2016, quando o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) estava no comando do Estado no quarto mandato, o grupo político governista elegeu 156 prefeitos. O partido do então governador havia vencido em 75 cidades. No último dia 15, o PSDB viu desabar para 20 o número de prefeitos.

Maior partido de oposição ao governo, o MDB reduziu de 43 para 29 o número de municípios que passa a comandar a partir de 2021.

No conjunto das 20 maiores cidades, excluindo Goiânia e Anápolis, onde haverá segundo turno, a base governista fez 10 prefeitos e a oposição, 10. Rio Verde, a quarta maior em número de eleitores, será a principal a ser comandada pelo DEM, com a reeleição do prefeito Paulo do Vale. Luziânia, no Entorno do Distrito Federal e quinta maior, elegeu o deputado estadual Diego Sorgatto (DEM).

Nas eleições anteriores, de 2012 e 2016, a oposição alcançou 7 cidades nas 20 maiores no primeiro turno.

Votos

Considerando os votos obtidos nas eleições deste ano para prefeito, o MDB sai à frente, com 769.285 votos. Os resultados na capital, em que o ex-governador Maguito Vilela seguiu para o segundo turno com vantagem de mais de 11 pontos porcentuais, e em Aparecida de Goiânia, com o prefeito Gustavo Mendanha batendo recorde nacional de votação (95,81% dos votos válidos), colaboraram com a vantagem.

O DEM ficou em segundo lugar em número de votos, com 471.555, e o PSD e o PP próximos nas posições seguintes, com 298.784 e 288.008, respectivamente. O PSDB alcançou 184.030 votos. A menor votação foi para o PCO (87).

Depois do DEM, o Podemos foi o partido que mais ganhou prefeitos - passou de 2 nas eleições anteriores para 14. O PSC e o SD, assim como o PP, ganharam 7 cada um na comparação com 2016. O PT manteve a mesma quantidade, de apenas 3 prefeitos em Goiás.

Nove legendas perderam comandos de cidades, com a maior queda do PSDB (55 a menos) e do MDB (14 a menos). O PTB ficou com 11 prefeitos a menos e o PSD teve redução de 8.

Considerando a população dos municípios que cada partido vai governar no Estado, o DEM estará à frente de 17,98%. O MDB vem em seguida, com 15,33% e o Podemos, com 8,41%. O PP comandará 5,24% e o PSDB, 4,39%. As duas cidades que terão segundo turno, porém, (Goiânia e Anápolis) concentram 27,1% da população do Estado.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário