terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

FCO destina R$ 2,48 bilhões para fomentar atividades de empresas e produtores rurais no Estado em 2020


Previsão é que aporte de recurso em investimentos resulte na geração de 271.307 empregos em Goiás. Empréstimos alcançam todos os 246 municípios goianos. Para 2021, governador Ronaldo Caiado defende liberação ainda maior de recursos para regiões mais carentes

O Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FCO) disponibilizou R$ 2,48 bilhões em empréstimos para financiar empresas e produtores rurais a fomentar atividades no Estado de Goiás no ano de 2020, além de R$ 538,8 milhões destinados para a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride).

Desse total, R$ 1,5 bilhão (61,9% do total) foi em contratações para o setor rural e R$ 949,9 milhões (38,1%) para o empresarial. Durante todo o ano de 2020 foram realizadas 8.679 operações. A previsão com todo esse aporte de recursos em investimentos é de gerar 271.307 empregos no Estado, entre diretos (100.444) e indiretos (170.863). Os empréstimos foram feitos em todos os 246 municípios de Goiás.

O relatório com as contratações foi apresentado nesta segunda-feira (15/02), em evento com o governador Ronaldo Caiado, os secretários de Estado da Indústria, Comércio e Serviços, José Vitti; da Retomada, César Moura; da Agricultura, Antônio Carlos de Souza Lima Neto; e da Secretaria Geral da Governadoria, Adriano Rocha Lima; além do superintendente do Centro-Oeste do Banco do Brasil, Gustavo Henrique Rosas. 

O governador Ronaldo Caiado fez várias observações sobre os números do FCO e disse que é preciso manter a distribuição mais harmônica dos recursos do fundo. “Nossa projeção para 2021 é de manter cada vez mais a parceria do Banco do Brasil com o Governo de Goiás para atender as regiões mais carentes e diminuir as desigualdades regionais”, reforçou o governador.

O titular da SIC, José Vitti disse que os R$ 2,48 bilhões disponibilizados para as operações de crédito em Goiás terão um impacto importante na economia do Estado e ajudarão na recuperação da crise provocada pela Covid-19. “Este ano nossa meta é fomentar a criação de novos empregos e a manutenção dos postos de trabalho existentes nos mais variados setores da economia”, disse o secretário.

José Vitti também avaliou que o FCO tem um papel importante na economia do Centro-Oeste, fomentando o desenvolvimento desde o ano de 1989, quando entrou efetivamente em funcionamento como indutor da geração de emprego e crescimento econômico e social.

Fundo consolida desenvolvimento em regiões prioritárias

Do total de recursos destinados para Goiás, o FCO reservou 12% para as regiões Oeste e Nordeste, mas no final do ano foram contratados 16,5% para as duas regiões, sendo 212 operações no Nordeste (R$ 66,9 milhões) e 1.345 no Oeste (R$ 342 milhões), totalizando R$ 409 milhões em 1.557 operações.

Desde a implementação do FCO, em 1989, o Governo de Goiás já destinou R$ 37,957 bilhões para financiar empresas e produtores rurais para instalação e fomento de atividades no Estado.

Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) – Governo de Goiás

Nenhum comentário:

Postar um comentário