segunda-feira, 1 de março de 2021

14 casos de infecção por coronavírus são confirmados no território Kalunga, em Cavalcante e Monte Alegre de Goiás


É com pesar e preocupação que a Associação Quilombo Kalunga (AQK) comunica a confirmação de 14 pessoas infectadas pelo coronavírus no Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga. Os casos foram confirmados esta semana por meio de testes realizados pelas secretarias municipais de Saúde de Cavalcante e Monte Alegre (GO).

Foram confirmados 12 casos na comunidade kalunga de Monte Alegre e dois casos na comunidade Vão de Almas, em Cavalcante.

O presidente da AQK, Jorge Moreira de Oliveira, alerta para a vulnerabilidade do povo kalunga, que enfrenta dificuldades sérias de acesso a serviços de saúde e pede atenção especial do poder público para garantir a saúde da população.

“Pedimos que o governo federal e o governo estadual apoiem as prefeituras dos municípios de Cavalcante, Monte Alegre e Teresina de Goiás para a melhoria das estradas da região. Diante da pandemia, o problema da qualidade das estradas se tornou ainda mais grave, pois dificulta e até impede o acesso dos kalunga aos serviços de saúde. Também aguardamos ansiosos a chegada da vacina para o nosso povo”, declarou.

A Associação ressalta a urgência da implementação, pelo governo federal, de um Plano Nacional de Enfrentamento à pandemia de Covid-19 voltado para a proteção das comunidades quilombolas, conforme determinado na última terça-feira (23) pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão foi uma resposta à ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) nº 742, ajuizada pela Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ) e julgada esta semana. O governo federal tem 30 dias para apresentar e implementar o Plano.

A Associação também pede que todos os kalungas redobrem os cuidados para não se contaminarem, usando máscaras e álcool conforme orientação das autoridades sanitárias, e evitando aglomerações e deslocamentos desnecessários.

Fonte: quilombokalunga.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário