domingo, 7 de março de 2021

Ossada encontrada em Niquelândia-GO pode ser de idosa desaparecida no dia 1º de janeiro


A Polícia Civil de Niquelândia pode ter encontrado no sábado (6) a ossada da idosa Romilda de Fátima Santana, de 72 anos, que desapareceu no dia 1º de janeiro na zona rural de Niquelândia (GO).

Os restos mortais foram localizados perto de um rio junto com as roupas que a mulher usava quando saiu da sede da fazenda de um familiar, às margens do lago Serra da Mesa, para um passeio nas imediações.

A ossada e as roupas foram encaminhadas para Uruaçu e de lá serão levados para Goiânia onde serão realizados os procedimentos legais para confirmar se pertencem ou não à idosa.  

Policiais estiveram no local após receber informação de que havia restos humanos às margens do rio, mas por enquanto, preferem não se manifestar sobre o caso. Familiares disseram que não têm dúvida de que se trata de Romilda.

A mulher, que morava em Goiânia no bairro Novo Horizonte, tinha ido passar a virada do ano com parentes na fazenda que fica próxima à GO-237, a Rodovia da Fé, que dá acesso ao santuário de Nossa Senhora do Muquém. Ela saiu para um passeio com uma cunhada e duas crianças. O grupo foi demarcando o caminho com pedaços de papel higiênico, mas na hora de retornar, a idosa decidiu pegar outro rumo, um “trieiro” que ela dizia conhecer.  O cão que a acompanhava quando ela optou pelo caminho alternativo, voltou para a propriedade rural três dias depois.

A busca pela mulher mobilizou dezenas de pessoas entre familiares, amigos, policiais civis e bombeiros militares de Goiás e do Distrito Federal. Durante mais de dez dias a procura foi intensa na região, envolvendo vários municípios, com o uso de drones, helicóptero e cães farejadores. Como nenhuma pista foi localizada, as buscas foram suspensas.

Até este sábado (6) a família de Romilda acreditava que ela poderia estar viva. Ela estava casada há mais de 50 anos com o aposentado Zugman de Santana, de 71, e deixou uma mãe de 90 anos. Para os parentes, a mulher poderia ter tido um lapso de memória e ter ido para outro município de carona. Romilda estava depressiva desde a morte de um dos netos há um ano. Ao lado da ossada estavam uma blusa com estampa de onça, uma sandália e uma bermuda vermelha, vestimentas que conferem com aquelas usadas pela mulher quando desapareceu.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário