quinta-feira, 25 de março de 2021

Polícia Civil desmantela quadrilha do DF que roubava fazendas no oeste da Bahia


Na manhã de quarta-feira, 24, foi deflagrada a primeira fase da “OPERAÇÃO BLACKOUT”, a qual tem o objetivo de repressão contra furtos e roubos de fazenda, onde estão sendo furtados peças de transformadores, fios de cobre e grãos em propriedades rurais e empresas na área da 11ª COORPIN. Esses crimes causam prejuízos imensos aos produtores da região Oeste da Bahia.

Conforme registros de ocorrências feitos nas unidades pertencentes a esta Coordenadoria, foi constatado pelos investigadores que era necessário deslocamento de imediato aos locais dos fatos e levantamento técnico e pericial dos crimes, de posse destas informações foi feito análise do “Modus Operandi”, percebendo-se que as ações se assemelhavam a prática de uma Orcrim, a qual foi responsável por cometimento de grande subtrações dos materiais descritos acima em meados de 2018,2019 e 2020.

Após intensa investigação, a Polícia Civil conseguiu identificar e localizar os autores e identificar o modus operandi da referida organização criminosa. Desta forma, foi feito deslocamento ao Distrito Federal no intuito de identificar os logradouros e prender os acusados, já que todos os integrantes identificados residiam no Distrito Federal e no Estado de Goiás.

Uma equipe de investigadores de Luís Eduardo Magalhães e S I da 11ª COORPIN fez contato com policiais civis do DF para que estes prestassem apoio nas diligências, sendo que foi logrado êxito em todos os levantamentos dos endereços e consequentemente pedir as respectivas prisões dos acusados.

Com a identificação dos envolvidos e locais onde poderiam ser encontrados, de posse dos mandados, iniciou-se o cumprimento das prisões com o apoio da Polícia Civil do DF e de Goiás, sendo cumpridos 05 (cinco) mandados de prisão no Estado de Goiás e Distrito Federal.

Foram colhidos termo de depoimento, sendo que tais pessoas contribuíram bastante com informações de que as ações também estariam ocorrendo em outras coordenadorias e em várias cidades, onde as investigações terão continuidade com consequente novas cautelares.

Em posse deste material os investigadores tentarão requerer novas medidas judiciais para coibir a prática desses crimes e prisão dos autores remanescentes.

Fonte: Sigi Vilares

Nenhum comentário:

Postar um comentário