quinta-feira, 15 de abril de 2021

Secretaria de Meio Ambiente de Cavalcante-GO determina retirada de búfalos de território calunga


Secretário Municipal de Turismo e Meio Ambiente de Cavalcante, município goiano ao norte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Rodrigo Batista Neves deu 48 horas para que o fazendeiro Marcos Rodrigues da Cunha, o Marcos Búfalo, retire do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga (SHPCK) dezenas de búfalos que foram levados para a área na sexta-feira (9).

Trinta animais estão dentro da propriedade do fazendeiro que fica em território calunga e outros 21 foram barrados na entrada por integrantes da Associação Quilombo Kalunga (AQK).

Marcos Búfalo, que é proprietário das fazendas Choco 1, 3 e 4, dentro da Comunidade do Engenho, violou as regras de uso do território quilombola, que são definidas pelo regimento interno da AQK. A associação explica que a demora do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em solucionar os processos de desapropriação em terras quilombolas, como é o caso das propriedades de Marcos Búfalo, tem gerado conflitos entre fazendeiros e as comunidades tradicionais. 

Logo que tomaram conhecimento da chegada de 30 animais na fazenda, integrantes da Comunidade do Engenho barraram a entrada de outros 21 búfalos. Um pasto foi alugado até que o caso tivesse solução. Vistoria feita pela Secretaria de Meio Ambiente no domingo (11) revela que os animais estão em área de grande vulnerabilidade, com veredas, nascentes e campos úmidos que fornecem água para comunidades como Vão de Almas e Vão do Moleque. Entre as nascentes estão as dos Rios Corrente, Curriola e Capivara que formam cachoeiras que atraem milhares de turistas para a região. Em relatório a pasta diz que teve informações de que o fazendeiro pretende levar para o território kalunga cerca de 400 búfalos.

A notificação para que Marcos Rodrigues da Cunha tome providências em relação aos búfalos que já estão na região foi emitida nesta quarta-feira (13). De acordo com a AQK, ele não costuma frequentar suas propriedades dentro do sítio quilombola e todas as atividades são delegadas a terceiros.

Relatório da pasta de Meio Ambiente de Cavalcante, revela que os búfalos foram levados para a área sem licença ambiental, documento emitido pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semad) e sem Certidão de Uso e Ocupação do Solo Municipal, que é de responsabilidade da administração local.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário