quinta-feira, 17 de junho de 2021

Sem doses, pelo menos 17 municípios de Goiás param de vacinar contra Covid-19



Com seis dias sem receber uma nova remessa de vacinas contra a Covid-19, pelo menos 17 dos maiores municípios goianos já interromperam a aplicação da primeira dose pela falta de estoques. Em Goiânia e Aparecida de Goiânia, dependendo da procura da população, as doses podem acabar nesta quinta-feira (17). A expectativa é de que uma nova remessa chegue nesta semana.

A presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de Goiás (Cosems-GO), Verônica Savatin, diz que a falta de vacina tem ocorrido na maioria dos municípios. “Nas cidades menores, no máximo em dois dias todas as doses recebidas são aplicadas”, esclarece.

Verônica aponta que na quarta (16) o Ministério da Saúde enviou uma pauta para os municípios sinalizando sobre o envio de mais doses ainda nesta semana. “Devemos receber segunda dose da AstraZeneca e primeira dose da Coronavac e da vacina da Pfizer. Entretanto, ainda não tem data certa nem qual será a quantidade”, diz. Atualmente, a capital vacina pessoas com 52 anos ou mais.

Em Goiânia, até o final da tarde desta quarta havia cerca de 3,4 mil doses em estoque. O quantitativo é suficiente para a aplicação das primeiras doses ao longo do dia. A diretora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Grécia Pessoni, explica que pode sobrar doses da campanha. “Às vezes alguma pessoa agendou e não foi, por exemplo. Nesses casos, as doses voltam para cá”, diz.

Caso isso aconteça, pode ser que o município tenha imunizantes suficientes para continuar com a aplicação das primeiras doses na sexta (18). Entretanto, é imprescindível que mais doses cheguem para que a campanha na cidade tenha continuidade. Situação semelhante ocorre em Aparecida de Goiânia, que já vacina pessoas com 48 anos ou mais.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Aparecida informou que nesta quarta seguem funcionando para vacinação contra a Covid-19 o drive-thru da Cidade Administrativa, que atende por livre demanda e enquanto durar o estoque de doses, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e a Central de Imunização, sendo que essas somente por agendamento. As vagas liberadas até sexta-feira (18) já estão preenchidas.

A pasta informou ainda que “aguarda nova remessa de doses para retomar o drive do Centro de Especialidades e também para liberar novas vagas para agendamento”.

Em Rio Verde, que vacina pessoas com 50 anos ou mais, a aplicação da primeira dose também foi paralisada e somente aquelas que perderam o atendimento nos drive-thrus estão sendo recebidas no Núcleo de Vigilância Epidemiológica do município.

Com estoques

Entretanto, apesar de muitas cidades já terem paralisado a aplicação da primeira dose por conta da falta de doses, existem aquelas cidades que continuam aplicando, como, por exemplo, Anápolis, O município segue imunizando pessoas com 50 anos ou mais. As cidades de Ceres, Luziânia, Senador Canedo, Pirenópolis, Formosa e Valparaíso de Goiás também continuam vacinando a população contra a Covid-19.

Em nota, a prefeitura de Senador Canedo, que vacina pessoas com 52 anos ou mais, informou que estima que ainda possui 2,4 mil doses para população geral e 3,6 mil para grupos prioritários. Porém, destacou que “não é possível fazer uma previsão de quanto tempo vai durar as doses disponíveis, pois depende da demanda. Mas até hoje nunca ficamos sem doses e a imunização nunca parou.”

A presidente do Cosems explica que alguns municípios ainda possuem doses e outros não, por causa de dois motivos: quantidade de doses recebidas e estratégias de vacinação de cada cidade. “Dependente da organização de cada um. A busca da população de cada cidade pela vacina também interfere nisso, mas não é o ponto crucial”, pontua.

É o caso de Nerópolis. O município irá aplicar as doses que ainda tem estoque somente na sexta. “Essas que serão usadas são as últimas. O ideal é recebermos mais nessa semana para organizarmos a vacinaçao da semana que vem”, explica Geycianne Oliveira, titular da Saúde do município.

COE autoriza vacinação de grávidas sem comorbidades

As gestantes sem comorbidades de Goiás poderão voltar a se vacinar contra a Covid-19 em depois de decisão do Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública do Estado. Em Goiânia, a retomada acontece a partir desta quinta-feira (17).

Em maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou suspender o uso da vacina da AstraZeneca em gestantes, depois que uma grávida morreu após ter sido vacinada. O caso é investigado pelo Ministério da Saúde que, na época, suspendeu o uso do imunizante em grávidas e repassou orientações para que todos os Estados brasileiros imunizassem somente as gestantes portadoras de comorbidades.

Somente neste ano, a Covid-19 matou 38 gestantes em Goiás. Ao longo de todo o ano passado foram 14 mortes. Em maio, a letalidade da doença no grupo ficou em 9,8% contra 2,38% na população em geral. Outros Estados já haviam liberado a vacinação de gestantes sem comorbidades. Em São Paulo, o grupo começou a ser imunizado na semana passada com a Pfizer.

Capital

Até o momento, Goiânia registrou 12 óbitos de grávidas em decorrência da Covid-19. A diretora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Grécia Pessoni, explica que a situação preocupou a pasta e a discussão foi levada até o Estado. “Fizemos várias reuniões com especialistas. Tivemos a presença de representantes da Organização Mundial da Saúde e da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia (SGGO)”, pontua Grécia.

Depois disso, a diretora de Vigilância Epidemiológica conta que a situação foi discutida pelo COE e pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB). “Essa situação nos preocupou muito. Com base em tudo isso, foi decidido que era melhor retomar”, esclarece Grécia.

A vacinação em Goiânia ocorrerá na Área-I da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), no Setor Leste Universitário, das 8 às 16 horas. Para esse público serão administradas vacinas da Pfizer e a Coronavac. É necessário apresentar um comprovante de gestação, além do comprovante de endereço de Goiânia. Não há necessidade de agendamento.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário