segunda-feira, 19 de julho de 2021

Turista machuca pé e precisa ser carregada por 6 km em trilha na Chapada dos Veadeiros; vídeo



Dois policiais militares revezaram entre si para carregar, nas costas, uma turista que havia machucado o pé em uma área de difícil acesso do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (assista vídeo acima).

Segundo o soldado Piertson Alves Ponte, foram cerca de 6 km de caminhada levando a jovem por uma trilha íngreme e acidentada até uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Em nota, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) informou que todos os visitantes do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros assinam o Termo de Conhecimento de Riscos e Normas (PNCV). Disse ainda que é transmitido um vídeo com as devidas orientações sobre as trilhas, os riscos e a segurança, bem como sobre a conduta consciente aos que optam pela visitação sem guia.

O ICMBio informou ainda que parque conta com um sistema de gestão da segurança, implementado desde 2016, além do apoio dos funcionários da concessionária, à disposição no Centro de Visitantes.

O acidente aconteceu no sábado (17). Segundo registro da PM, a turista e o grupo que a acompanhava tentaram contato com o Corpo de Bombeiros, mas sem sucesso. O posto da corporação mais próximo do parque fica a 180 km, em Planaltina de Goiás, no Entorno do DF.

Os bombeiros informaram que a equipe da unidade não recebeu nenhum chamado na data e explicou que a tentativa de contato da moça possa ter sido direcionada para outro local – o que pode acontecer dependendo da operadora e sinal de celular no parque.

A corporação registrou ainda que “está hoje presente em 42 cidades goianas e a expansão das nossas atividades é um dos nossos objetivos”.

Salvamento

De acordo com Ponte, ele e o soldado Renan Torres e estavam de serviço em Alto Paraíso de Goiás, no Entorno do DF, quando receberam o chamado para ajudar a turista, por volta das 14h de sábado.

“Soubemos que ela havia torcido o tornozelo e não tinha conseguido contato com o Corpo de Bombeiros. Fomos nós e dois socorristas do parque”, contou.

De acordo com o soldado, os PMs foram direto à recepção do parque, encontraram o coordenador da equipe de resgate, que informou que tinha dois socorristas para atender a moça e que precisaria da ajuda dos policiais para o resgate.

Piertson descreveu a trilha como um caminho difícil, cheio de subidas e descidas, com muitas pedras e íngreme. Quando chegaram ao local em que a turista havia se acidentado, os funcionários do parque imobilizaram o pé dela que estava machucado. Para sair dali, só conseguiram colocando a moça nas costas.

“Tem um equipamento que chama ‘Juliete’, que é como se fosse uma cadeirinha, que ajuda em casos assim, mas nem ele dava para usar porque o terreno era muito difícil. A maior dificuldade é por ser muito íngreme. Só os guias conseguem chegar a esses atrativos”, contou.

Uma ambulância do Samu foi acionada pelo parque, mas só conseguia chegar até certo ponto da trilha justamente por causa do tipo de terreno. De acordo com o soldado, a turista se queixava de muita dor e não podia apoiar o pé ferido no chão.

“A equipe teve um desgaste físico e psicológico, foram quase três horas para tirar ela do local, por ser bem acidentado, tinha bastante pedra. Fizemos o melhor possível e tivemos sucesso em resgata-la. A gente faz de coração”, disse.

Ainda de acordo com o soldado, a turista foi levada a um hospital em Alto Paraíso de Goiás, depois transferida para uma unidade de saúde em Brasília, onde deveria passar por uma cirurgia nesta segunda-feira (19).

O nome do hospital em que a turista ficou internada não foi divulgado, por isso não foi possível atualizar o estado de saúde dela nesta manhã.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário