sábado, 7 de agosto de 2021

Goinfra reduz em 46% custo público com radares, aplica 284 mil autos de infração a menos gera economia direta de R$ 52 milhões



Investimento menor é resultado de nova licitação, com contratos mais baratos. Número de multas por conta de infrações cometidas nas rodovias goianas também caiu, na comparação dos biênios 2017/2018 e 2019/2020

A Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) reduziu em 46% os gastos públicos com o monitoramento eletrônico nas rodovias estaduais, a partir da contratação de novas empresas para a prestação do serviço.

O atual contrato, licitado pela gestão passada em dezembro de 2016, custou ao erário mais de R$ 81 milhões somente até outubro de 2020. Com o certame do ano passado, a agência prevê um investimento que deve ficar abaixo de R$ 44 milhões, ao longo dos próximos três anos, e garantir a segurança viária.

Em razão da mudança das empresas contratadas, os radares e lombadas eletrônicas já instalados estão sendo substituídos por novos aparelhos. Hoje são 482 faixas monitoradas e, apesar de a licitação prever a possibilidade de implantação do serviço em outros pontos, não há projetos da Goinfra para ampliar esse número, exceto pela programação de atender a demandas pontuais, já executadas pelo Ministério Público Estadual.

Além da economia nos gastos com o serviço, a Goinfra também reduziu o número de autuações aplicadas e o valor pago por condutores que cometem infrações, desde 2019.

Na comparação entre os biênios 2017/2018 e 2019/2020, a agência baixou em 284 mil a quantidade de autos emitidos. Em valores, isso representou R$ 52,8 milhões a menos desembolsados pelo goianos com o pagamento de multas.  Uma das iniciativas responsáveis pelo resultado foi a retirada dos radares móveis ainda no início da atual gestão estadual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário