sábado, 25 de setembro de 2021

Chamas atingem 12% do Parque Estadual de Terra Ronca


O Parque Estadual de Terra Ronca teve o incêndio iniciado na última semana. O rastro de destruição afetou 12% da área total de aproximadamente 57 mil hectares.

A unidade de conservação é uma das que contam com brigada instalada no próprio local. Ainda assim, o caso chegou a sair do controle e houve momentos em que havia três focos em atividade.

Gerente geral da Aliança da Terra, Caroline Nóbrega acompanha os trabalhos no local. Ela afirma que, desde julho, houve sete princípios de incêndio, ou seja, focos pequenos que foram combatidos antes que se alastrassem.

O fim do último grande transtorno contou com a ajuda da chuva. Ela caiu na quinta-feira e se somou ao trabalho dos brigadistas. A força-tarefa do Corpo de Bombeiros, que também atuou no local, teve o envolvimento de 30 pessoas.

Outro local onde a intervenção rápida de brigadistas foi fundamental para evitar que um foco se transformasse em um grande incêndio foi no Parque Estadual do Araguaia (PEA). Foram duas ocorrências que não evoluíram para graves.

O Parque Estadual do Terra Ronca, criado em 1989, é rico em cavernas e grutas. Ele esta localizado a mais de 600 km de Goiânia. A fundação da unidade de conservação visa a preservar flora, fauna e mananciais.

Os atrativos são apreciados, normalmente, por milhares de pessoas anualmente. Alguns dos locais de visitação só podem ser acessados de rapel e é obrigatório o acompanhamento de guias para os turistas.

O local poderá vir a ser gerido pela iniciativa privada. Atualmente, o parque é motivo de polêmica porque a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Semad) apresentou um novo plano de manejo. A comunidade local afirma ter sido pega de surpresa e questiona vários pontos do documento.

Além disto, um abaixo-assinado está em andamento contra uma obra prevista no Projeto Gênesis, da própria Semad. Em entrevista, a titular da pasta, Andrea Vulcanis, afirmou que ainda não há projeto executivo. Imagens com perspectivas em três dimensões das intervenções arquitetônicas viralizaram na internet e chamaram a atenção dos locais para a questão.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário