quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Incêndios florestais na Chapada dos Veadeiros e Parque Terra Ronca: Semad suspende oficinas do Projeto Gênesis no Nordeste Goiano


Nove oficinas colaborativas que seriam realizadas a partir desta quinta-feira (23), nos municípios do Nordeste de Goiás, para discutir o Programa Gênesis foram suspensas. A iniciativa é apresentada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Semad) como uma plataforma para otimizar investimento público para consolidar a região como um polo de oportunidades, embora o detalhamento de como isto poderá vir a ser feito não foi esclarecido.

Em publicação feita nas redes sociais, a Semad informa que a decisão foi tomada devido ao atual cenário que a região de abrangência do programa vem enfrentando nos últimos dias, em decorrência dos incêndios florestais na Chapada dos Veadeiros e Parque Estadual de Terra Ronca.

A publicação relata que o cenário de queimadas demanda total esforço do governo do Estado, no sentido de buscar controlar os focos de incêndios que devastam a fauna e a flora. A Semad conclui a publicação dizendo que tão logo a situação de emergência ambiental seja controlada, retornará a pauta das oficinas colaborativas.

Desde o anúncio do Programa Gênesis, o mesmo vem sofrendo questionamentos e resistência por parte da comunidade da região.

Presidente da Associação Amigos do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Julio Itacaramby afirma que a falta de abertura por parte do Estado para a participação da comunidade é um problema desde que o programa foi anunciado. “A participação social é fundamental. Os processos estão completamente atropelados. A população não tem informação sobre o projeto.”

O líder local aponta que a preocupação mais urgente nos municípios é outra. “A região precisa de cuidados com a preservação ambiental e não (o Estado) fazer obras faraônicas. A solução para o turismo é ter condições de evitar a degradação ambiental. A participação da população e das unidades de conservação é essencial neste projeto”, afirma.

Para a vereadora representante do Mandato Coletivo Permacultural na Câmara dos Vereadores de Alto Paraíso de Goiás, Henny Freitas, falta transparência em relação ao Programa Gênesis, de iniciativa da Semad. “Acreditamos que antes de se posicionar é preciso ouvir a população e levantar mais informações sobre o projeto (...) Ficamos desapontados quando recebemos a informação de que a reunião havia sido cancelada sem prévias justificativas. A notícia foi dada por um membro do Sindicato Rural de Alto Paraíso, com a promessa de que uma nova (e ainda sem data) reunião seria agendada”, afirma.

O prefeito do município de São Domingos, Cleiton Gonçalves Martins, diz ser a favor do projeto Gênesis. “O projeto visa ao equilíbrio do desenvolvimento ambiental, além da abrangência do ecoturismo e turismo em São Domingos e demais municípios. Precisamos melhorar a vida das pessoas por meio da geração de emprego e turismo. A riqueza das cidades do Nordeste goiano precisa ser conhecida e entrar na rota turística”, afirma.

Presidente do Instituto Espinhaço, Luiz Cláudio de Oliveira foi quem elaborou voluntariamente o conceito do Projeto Gênesis. “Não existe projeto. Foi apresentado somente uma apresentação do que pode ser feito para o turismo nos municípios envolvidos”, afirma.

Projeto Gênesis

O Projeto Gênesis prevê investimentos em 20 cidades da região, sendo nove na primeira etapa e 11 na segunda, em dez eixos que contemplam a infraestrutura e o turismo incluindo a construção de grandes estruturas nos parques estaduais Águas do Paraíso, em Alto Paraíso, e Ronca, em São Domingos.

Em nota, o Instituto Espinhaço afirma que o Projeto Gênesis se estrutura em dez eixos que incluem temáticas como: fortalecimento da economia, turismo, segurança hídrica, infraestrutura dos parques, geração de trabalho e renda e conhecimento, tecnologia e inovação.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário