quarta-feira, 20 de outubro de 2021

39 mil servidores da Educação de Goiás vão receber ajuda de custo


O Governo de Goiás, como forma de valorizar e reconhecer o trabalho dos professores e servidores administrativos lotados na Secretaria de Estado da Educação (Seduc), vai inserir na folha pagamento de novembro, uma ajuda de custo cujo valor será proporcional aos meses trabalhados e à carga horária de cada servidor.

O benefício a ser creditado na conta dos servidores será de R$ 1.637,50 (para 20 horas), R$ 2.456,25 (para 30 horas) e R$ 3.275,00 (para 40 horas).  No total, serão destinados cerca de R$ 120 milhões para garantir o pagamento. A expectativa é de que a ajuda de custo alcance pelo menos 39 mil servidores da rede pública estadual de ensino.

“Hoje nossos professores têm seu trabalho reconhecido. Nós transformamos a educação porque ela é a única ferramenta capaz de mudar o futuro”, afirma o governador Ronaldo Caiado. O pagamento será realizado a todos os servidores da Educação, sejam eles efetivos, comissionados ou de contratos temporários.

A intenção do Governo de Goiás é incentivar professores e servidores administrativos a investirem na aquisição de equipamentos da área de tecnologia, como notebooks ou celulares, por exemplo. “Estamos fazendo da Educação uma verdade, para que ela atinja os melhores níveis e possa combater as desigualdades regionais, dando cidadania às pessoas”, ressalta o governador Ronaldo Caiado.

Pacote de benefícios

Como parte de sua política de valorização profissional, além dessa ajuda de custo, o Governo de Goiás também concedeu reajuste salarial de 4,52% para professores P1, P2, do quadro transitório e com contratos temporários, e de 7,20% para professores P3, P4 e servidores administrativos, efetivos ou com contratos.

O aumento salarial começará a ser pago já na folha do mês de outubro. Também neste mês, professores e servidores ativos da Seduc passarão a ter R$ 500 acrescidos em seus vencimentos, como Auxílio Aprimoramento Continuado.

O benefício tem como finalidade estimular a qualificação profissional e por isso pode ser utilizado para cobrir despesas com formação educacional e profissional ou para a aquisição de livros e participação em cursos.

“Muita gente fala que gosta de professor, que os valoriza. Mas quando chega a hora de fazer algo na prática, fazem suas contas e nem sempre isso vira uma atitude em benefício de nossa categoria. Nosso governador tem mostrado que é diferente e que quer fazer a diferença”, salientou a secretária de Educação Fátima Gavioli.

Fonte: Secretaria de Estado da Educação (Seduc)

Nenhum comentário:

Postar um comentário