terça-feira, 2 de novembro de 2021

Jovem é presa suspeita de matar policial que namorava a mãe dela, em Águas Lindas de Goiás


Uma jovem de 24 anos foi presa suspeita de matar a facadas o policial militar da reserva Antônio do Rego Rodrigues Neto, de 53 anos, que namorava a mãe dela, em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. A Polícia Militar disse que a suspeita é de que o sargento teria discutido com a jovem após ele agredir a namorada.

Como o nome da suspeita não foi divulgado, a reportagem não conseguiu localizar a defesa dela para que se posicionasse até a última atualização desta reportagem.

O caso aconteceu na noite de domingo (31). De acordo com o boletim de ocorrências, a namorada da vítima contou aos policiais que os dois haviam ingerido bebidas alcoólicas durante o dia todo e que, no início da noite, quando sua filha chegou à residência, os dois começaram a discutir.

A namorada do PM contou ainda que ele deu um soco em seu rosto, que fez com que ela desmaiasse. Segundo ela, quando conseguiu acordar, viu que estava suja de sangue e já encontrou o sargento esfaqueado dentro de sua casa.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e informou que os socorristas encontraram a vítima deitada em uma cama com várias perfurações no tórax e membros superiores. O policial foi levado para o Hospital Municipal Bom Jesus e, em seguida, transferido para o Hospital de Ceilândia, onde morreu na segunda-feira (1ª).

A Polícia Militar de Goiás publicou em seu site oficial uma nota de pesar pela morte do sargento.

Prisão

Testemunhas disseram aos policiais que viram a jovem jogar uma faca no telhado da casa onde o crime aconteceu e, em seguida, fugir do local. A arma foi encontrada suja de sangue pela corporação.

A Polícia Militar disse que começou a fazer buscas na região de Águas Lindas e encontrou a suspeita escondida em uma casa. Ela foi presa em flagrante e deve responder pelo crime de homicídio.

A Polícia Civil não informou se a jovem já havia sido ouvida até o início da tarde desta terça-feira (2) bem como o relato dela. O caso segue sendo investigado pela corporação.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário